ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, SEXTA  24    CAMPO GRANDE 24º

Capital

Bairro nobre da Capital está entre três regiões com maior infestação de Aedes

O complexo de condomínios Damha aparece em relatório que mostra o índice de infestação nos imóveis

Por Kamila Alcântara | 19/02/2024 17:37
Bairros da Capital estão com risco de infestação do mosquito Aedes aegypti. (Foto: Fábio Rodrigues/Agência Brasil)
Bairros da Capital estão com risco de infestação do mosquito Aedes aegypti. (Foto: Fábio Rodrigues/Agência Brasil)

O mais recente relatório do Lira (Levantamento Rápido de Infestação do Aedes aegypti) colocou três bairros sob alerta de infestação do mosquito da dengue. Um ponto é a região do condomínio Damha e do Bairro Maria Aparecida Pedrossian. Para impedir o aumento de casos, a prefeitura entregou, nesta segunda-feira (19), mais sete motocicletas e um automóvel para a CCEV (Coordenadoria de Controle de Endemias Vetoriais), para o combate às arboviroses.

O Lira traz o IIP (Índice de Infestação Predial) e o IB (Índice de Breteau), que define a quantidade de larvas do mosquito encontradas dentro das residências. No topo da lista estão os bairros Vida Nova, com 8,5% de infestação; o bairro Maria Aparecida Pedrossian junto com o condomínio Damha que têm 5,3%. Depois vem o Estrela do Sul, com 4.4. O número ideal é abaixo de 1%.

Apesar dos registros de infestação, a região de Campo Grande com mais pacientes diagnosticados com a arbovirose é o Anhanduizinho, onde está o grande Aero Rancho. O bairro foi escolhido para iniciar o mutirão de combate à doença, com a entrega dos novos veículos.

Sesau entregou sete motocicletas e um veículo para mutirão de combate ao mosquito da dengue (Foto: Divulgação PMCG)
Sesau entregou sete motocicletas e um veículo para mutirão de combate ao mosquito da dengue (Foto: Divulgação PMCG)

Segundo a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), durante dez dias, os agentes estarão mobilizados no trabalho de vistoria domiciliar, orientação, identificação e eliminação de potenciais criadouros e focos do mosquito.

Ao todo, cerca de 300 pessoas  estarão mobilizadas durante a abertura das ações, com apoio dos Agentes Comunitários de Saúde da região, Conselho Local de Saúde e lideranças comunitárias da região.

A pasta reforça que desde novembro do ano passado as equipes intensificaram as medidas de prevenção e controle do vetor da dengue, com diretrizes publicadas em janeiro, que prevê estratégias a serem executadas até 2025.

Nos siga no Google Notícias