A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

12/02/2014 17:18

Buracos tomam conta da BR-163 dois meses após obras de recapeamento

Filipe Prado
Vários pontos da BR já possuem buracos, menos de 2 meses após recapeamento (Foto: Simão Nogueira)Vários pontos da BR já possuem buracos, menos de 2 meses após recapeamento (Foto: Simão Nogueira)

Menos de dois após o recapeamento, trecho da BR-163, no macroanel rodoviário de Campo Grande, entre as saídas de São Paulo e Cuiabá, voltou a ficar cheio de buracos. Caminhoneiros reclamaram de trabalho mal feito. As obras foram concluídas em dezembro de 2013.

O trecho que fica próximo ao Shopping Bosque dos Ipês está passando por um novo recapeamento, porque surgiram buracos e elevações na pista, que prejudicam os motoristas. “Os buracos voltaram, por conta do serviço mal feito”, comentou o funcionário de uma borracharia que fica na BR, Ivanildo Esteves Barros, 49 anos.

“Uma boa parte terá que ser refeita”, contou. Ele contou que o trabalho mal feito gera prejuízos. “Além de ser um custo para o povo, pois isso é dinheiro público, os caminhoneiros também se prejudicam, pois tem que ficar cerva de 20 minutos parados aqui”, disse.

Um dos piores pontos é no local onde um caminhão tombou, há cerca de uma semana atrás, no Jardim Itamaracá. Além do desnível na pista, há várias ondulações, que prejudicam os motoristas. “Essas ondulações são só por Deus!”, exclamou o caminhoneiro Jaime Rottana, 48.

Ele comentou que a pista deve ter sido feita de uma forma errada. “Eu acho que eles estão fazendo uma base errada, pois a pista não está aguentando o peso e o grande fluxo dos caminhões”, contou. Mas ele completou que os buracos e ondulações podem ter sido causados por um trabalho mal executado.

“Eu acho que eles podem ter utilizado um material fraco para fazer o asfalto”, relatou o caminhoneiro Odilei de Paula, 36, quando foi questionado sobre a abertura de novos buracos na BR.

Mas nem todos os motoristas acham que a quantidade de buracos e as ondulações pelas pistas os prejudicam, como Paulo Firmino Gomes, 43. “Eu ainda acho que é pouco, pois no Mato Grosso muitas rodovias não possuem nem asfalto”, afirmou.

DNIT - A assessoria de imprensa do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) relatou que o fiscal identificou problemas na fresagem descontínua, com isso apareceram buracos e trincas no pavimento. Eles contaram que será necessário intervir e corrigir o asfalto, para que não haja ocorrências.

O DNIT frisou que não houve "má qualidade no serviço prestado" e que a empresa responsável está realizando um novo recapeamento, sem ônus do departamento.

 

Os caminhoneiros reclamam do serviço mal feito na rodovia (Foto: Simão Nogueira)Os caminhoneiros reclamam do serviço mal feito na rodovia (Foto: Simão Nogueira)
Ivanildo afirmou que boa parte do recapeamento deveria ser refeito (Foto: Marcos Ermínio)Ivanildo afirmou que boa parte do recapeamento deveria ser refeito (Foto: Marcos Ermínio)


Num país em que a única coisa séria que funciona é o "jogo do bixo", as pessoas esperavam o que??? Não há fiscalização técnica nas obras rodoviárias, quando há, é omissa ou cúmplice no descumprimento do nível técnico exigido. Algumas pessoas, ainda bem, já se dão conta que aquele dinheiro mal utilizado nesse "remendo" de asfalto é delas também, via carga ALTÍSSIMA de impostos. Na verdade, se as pessoas tiverem a real noção do QUANTO pagam em impostos em cada produto adquirido ou serviço recebido, esse país mudaria para melhor mais rápido do que imaginamos.
 
PAULO ROBERTO em 13/02/2014 07:24:38
esta obra ficou uma meleca, perto do trevo da guaicurus,
tem ums abismos no meio da pista, tem que passar a 20 km, mas ai vem alguem
e te passa em cima. alguem tem que ver aquilo urgente.
 
edilson queiroz em 12/02/2014 20:56:30
Concordo plenamente com Sr Roberto Sinai, o senhor que é do ramo do transporte, é um dos mais prejudicados, pois quebram mais os caminhões.
Onde está o Engenheiro responsável pela usinagem do asfalto que, no início estava "derretendo" e agora mal é colocado na pista e os buracos aparecem.
De onde vem o dinheiro para fazer esse retrabalho que é o "tapa buraco" no asfalto novo?
Onde está o MINISTÉRIO PÚBLICO que não investiga essa obra?
Será esse o motivo do IPTU 2014 estar tão caro assim?
É justo a população pagar por um IPTU tão caro como este de 2014, na minha opinião, seria justo se não houvesse tanto desperdício do dinheiro público assim.
 
Luciano Silgueiros em 12/02/2014 20:15:45
Essa é a regra dos "recapeamentos", "restaurações", etc. das rodovias brasileiras. Alguém já viu algum político se indignar com isso? Não, porque as construtoras mandam um dinheirinho para TODOS eles na campanha política e possivelmente depois, no inevitável superfaturamento. E cadê o Ministério Público? Por quê não faz nada? Pela pressão popular, no ano passado, foi derrubada a PEC que retirava a atribuição de investigar do MP. O povo espera agora que o MP use de suas atribuições e investigue o porquê de as rodovias brasileiras terem uma durabilidade inferior a DOIS MESES de uso. Afinal, o eletricista ali da esquina, quando faz um conserto é obrigado, por Lei a dar uma garantia de TRÊS MESES. As construtoras estão isentas de dar garantia das suas obras?
 
Adriano Roberto dos Santos em 12/02/2014 18:17:22
Infelizmente no pais de ninguém continua a operação "H" onde uns fingem que enganam e outros fingem que acreditam, a categoria do transporte tem uma boa resposta que sera dada nas "urnas".
 
Roberto Sinai em 12/02/2014 17:55:21
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions