A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

21/07/2011 16:20

Caracterizados, pajés chegam à Capital confiantes na cura de menina indígena

Paula Maciulevicius e Ana Paula Carvalho

Ritual é feito por três pajés e uma criança de 3 anos

Pajés e criança chegam caracterizados ao Hospital Regional para ritual de cura. (Foto: João Garrigó)Pajés e criança chegam caracterizados ao Hospital Regional para ritual de cura. (Foto: João Garrigó)

Os três pajés da aldeia Porto Lindo, em Japorã, já começaram os rituais de cura para a menina Thiely Mendes, de 8 anos. A criança sofre com um tumor no joelho e está internada no setor de oncologia do Hospital Regional de Campo Grande.

No quarto onde está a garota, os três curandeiros - João Antônio Fernandes, de 84 anos, Vergília Romeiro de 52 e Aldair Romeiro de 22 anos estão em volta da cama de Thiely com chocalhos artesanais cumprindo o rito. Uma criança de 3 anos também participa do ritual.

Confiantes, eles afirmam que vieram para curar a menina e que vão fazer isso durante três dias. O pajé João Antônio disse ao Campo Grande News que acredita que a menina vai ser curada pela crença.

De portas fechadas para a imprensa, ritual segue com chocalhos e deve ser acompanhado por médico do caso. (Foto: João Garrigó)De portas fechadas para a imprensa, ritual segue com chocalhos e deve ser acompanhado por médico do caso. (Foto: João Garrigó)

O fato chamou a atenção dos demais pacientes e funcionários do hospital, que não vêem com frequência um caso que ganhou tanta repercussão.

Neste momento o médico que atende a indígena, Marcelo de Souza, está chegando ao hospital para acompanhar o ritual.

Impasse - Familiares de Thiely decidiram interromper o tratamento e levar a menina de volta para Japorã, município distante 487 quilômetros da Capital, para ser curada por um benzedor.

Diagnosticada com um tumor no joelho, a doença foi percebida há dois meses, depois de uma visita dos agentes de saúde à aldeia.

A Casai (Casa de Apoio à Saúde Indígena) e a equipe médica do hospital permitiram que os curandeiros praticassem os métodos de cura durante o tratamento da menina em Campo Grande, para que ela ficasse no hospital.

A menina corre o risco de amputação de parte da perna, porque o tumor tomou conta da região do joelho.

Caso de menina guarani de 8 anos com câncer pode virar briga judicial
O caso da indígena Thiely Mendes, 8 anos, que está internada no Hospital Regional para fazer tratamento contra um câncer no joelho pode parar na just...
Para tratar câncer, índia de 8 anos espera curandeiros
Uma indígena de oito anos tem obstáculos na luta pela vida. A pequena Thiely Mendes está internada no Hospital Regional há um mês com câncer no joelh...
Crianças do Vespasiano Martins recebem Papai Noel e ganham presentes
As crianças do loteamento Vespasiano Martins, na periferia de Campo Grande, receberam a visita especial do Papai Noel neste sábado (16). Foram distri...


Cada um na sua lógica de entender os caminhos que levam ao seu Deus! Todo ritual, culto ou cerimonia é valido pra aquele que acredita. E respeitar é fundamental... Parabéns a equipe do Hospital Regional pelo respeito a diversidade cultural!!!
 
Ana Cristina Ferreira em 21/07/2011 05:35:12
Na verdade quem cura é DEUS , nos somos apenas um canal para o Senhor usar nossa vida e fazer seus milgares , toda honra e gloria é dada somente a ele ... Não é um ritual de 03 dias que irá curar a menina .. e sim a vontade do altissimo ..
 
Rebeca Soares em 21/07/2011 04:40:17
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions