A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 15 de Agosto de 2018

21/07/2011 16:20

Caracterizados, pajés chegam à Capital confiantes na cura de menina indígena

Paula Maciulevicius e Ana Paula Carvalho

Ritual é feito por três pajés e uma criança de 3 anos

Pajés e criança chegam caracterizados ao Hospital Regional para ritual de cura. (Foto: João Garrigó)Pajés e criança chegam caracterizados ao Hospital Regional para ritual de cura. (Foto: João Garrigó)

Os três pajés da aldeia Porto Lindo, em Japorã, já começaram os rituais de cura para a menina Thiely Mendes, de 8 anos. A criança sofre com um tumor no joelho e está internada no setor de oncologia do Hospital Regional de Campo Grande.

No quarto onde está a garota, os três curandeiros - João Antônio Fernandes, de 84 anos, Vergília Romeiro de 52 e Aldair Romeiro de 22 anos estão em volta da cama de Thiely com chocalhos artesanais cumprindo o rito. Uma criança de 3 anos também participa do ritual.

Confiantes, eles afirmam que vieram para curar a menina e que vão fazer isso durante três dias. O pajé João Antônio disse ao Campo Grande News que acredita que a menina vai ser curada pela crença.

De portas fechadas para a imprensa, ritual segue com chocalhos e deve ser acompanhado por médico do caso. (Foto: João Garrigó)De portas fechadas para a imprensa, ritual segue com chocalhos e deve ser acompanhado por médico do caso. (Foto: João Garrigó)

O fato chamou a atenção dos demais pacientes e funcionários do hospital, que não vêem com frequência um caso que ganhou tanta repercussão.

Neste momento o médico que atende a indígena, Marcelo de Souza, está chegando ao hospital para acompanhar o ritual.

Impasse - Familiares de Thiely decidiram interromper o tratamento e levar a menina de volta para Japorã, município distante 487 quilômetros da Capital, para ser curada por um benzedor.

Diagnosticada com um tumor no joelho, a doença foi percebida há dois meses, depois de uma visita dos agentes de saúde à aldeia.

A Casai (Casa de Apoio à Saúde Indígena) e a equipe médica do hospital permitiram que os curandeiros praticassem os métodos de cura durante o tratamento da menina em Campo Grande, para que ela ficasse no hospital.

A menina corre o risco de amputação de parte da perna, porque o tumor tomou conta da região do joelho.

Caso de menina guarani de 8 anos com câncer pode virar briga judicial
O caso da indígena Thiely Mendes, 8 anos, que está internada no Hospital Regional para fazer tratamento contra um câncer no joelho pode parar na just...
Para tratar câncer, índia de 8 anos espera curandeiros
Uma indígena de oito anos tem obstáculos na luta pela vida. A pequena Thiely Mendes está internada no Hospital Regional há um mês com câncer no joelh...


Cada um na sua lógica de entender os caminhos que levam ao seu Deus! Todo ritual, culto ou cerimonia é valido pra aquele que acredita. E respeitar é fundamental... Parabéns a equipe do Hospital Regional pelo respeito a diversidade cultural!!!
 
Ana Cristina Ferreira em 21/07/2011 05:35:12
Na verdade quem cura é DEUS , nos somos apenas um canal para o Senhor usar nossa vida e fazer seus milgares , toda honra e gloria é dada somente a ele ... Não é um ritual de 03 dias que irá curar a menina .. e sim a vontade do altissimo ..
 
Rebeca Soares em 21/07/2011 04:40:17
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions