A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 21 de Abril de 2019

19/11/2018 09:19

Carbonizado estava em lista do PCC de “marcados para morrer”

Assim como outros dois amigos, Edgar morreu por postar uma foto fazendo símbolo do CV (Comando Vermelho) com os dedos

Geisy Garnes
Corpo de Edgar foi encontrado neste domingo, carbonizado dentro de um Fiat Uno (Foto: Reprodução Facebook)Corpo de Edgar foi encontrado neste domingo, carbonizado dentro de um Fiat Uno (Foto: Reprodução Facebook)

Edgar Nunes da Silva, de 22 anos, seria a quarta vítima de uma lista de execução do PCC (Primeiro Comando da Capital) apreendida pela polícia em junho deste anos, em Campo Grande. O rapaz foi encontrado carbonizado dentro de um Fiat Uno, na manhã de ontem (18), em estrada vicinal no prolongamento da Rua Elias Catan, no Jardim Anache.

Segundo a polícia, a motivação do crime seria uma foto publicada no Facebook, anos atrás, em que Edgar aparece fazendo sinais que representam a facção carioca Comando Vermelho.

Conforme apurado pelo Campo Grande News, a imagem teria resultado em uma lista de execução com cinco nomes. Além de Edgar, outras três pessoas já teriam sido assassinadas pelo mesmo motivo: Gean Blendão Pereira Rodrigues, de 21 anos, Jamsonn Luiz Cordeiro, de 19 anos, e um terceiro não identificado.

A lista com a identidade dos “marcados para morrer” foi encontrada por policiais do Batalhão de Choque da Polícia Militar em junho deste ano na casa de James Deann Lucas Martins, de 25 anos - assassino confesso de Jamsonn Luiz Cordeiro.

James, que seria uma liderança do PCC, foi preso com outros quatro comparsas pelo envolvimento no roubo de um veículo Cobalt, no bairro Tiradentes. Com ele, os policiais encontraram três armas, uma carta - em que confessa o assassinato do rapaz de 19 anos - estatutos da facção e a lista de execução.

Na carta de confissão, o assassino explicou que a Jamson foi morto por postar uma foto ao lado de um homem identificado como Igor, fazendo o símbolo da facção criminosa CV (Comando Vermelho) com os dedos. Em depoimento, alegou ainda que ele teria desrespeitado esposas de integrantes da facção. Crime aconteceu no dia 29 de maio.

Quatro dias depois, Gean Blendão foi encontrado com um tiro na cabeça na estrada de acesso ao Centro Penal Agroindustrial da Gameleira. Ele chegou a ser socorrido, mas não resistiu. A “explicação” para a execução veio da própria família do rapaz, por meio do canal “Direto das Ruas”. “Nem sabemos qual foto é”, contou um parente que preferiu não se identificar.

Nas redes sociais comentários e conversas entre Gean, Jamson e Edgar, mostram a ligação entre os três. Em 2017 Edgar comentou em um das fotos em que os outros dois amigos aparecem juntos. A imagem foi publicada no Facebook de Jamson em 2015. “So os Zika kk”.

Também em 2017, Jamson e Edgar aparecem uma série de fotos juntos. A maior parte delas publicadas nas redes sociais de Jamson, que também coleciona fotos com Gean.

Edgar e Jamson em foto publicada em março de 2017 (Foto: Reprodução Facebook)Edgar e Jamson em foto publicada em março de 2017 (Foto: Reprodução Facebook)
Gean e Jamson aparecem na foto publicada em 2015 (Foto: Reprodução Facebook)Gean e Jamson aparecem na foto publicada em 2015 (Foto: Reprodução Facebook)

Execução - Segundo a polícia, a ordem para executar Edgar veio de um interno do Presídio de Segurança Máxima. A mãe do rapaz afirmou que o filho estava sendo ameaçado por Paulo Henrique da Silva Lemes, 18 anos, e Fernando Barbosa da Silva, 29 anos, por causa de uma foto que Edgar postou há 5 anos fazendo alusão ao CV.

Na sexta-feira (16), Edgar disse para a mãe que resolver o problema e não voltou mais. Edgar foi amarrado e esfaqueado no pescoço. Depois de morto, a vítima teve o corpo carbonizado dentro de um Fiat Uno.

Fernando e Paulo Henrique acabaram preso por equipes do GOI (Grupo de Operações e Investigações) horas depois. Outras três pessoas teriam participado do crime, em deles um adolescente de 16 anos. Tanto os suspeitos quanto a vítima tem várias passagens pela polícia e moram no mesmo bairro. Os investigados são do PCC (Primeiro Comando da Capital) - facção rival do Comando Vermelho.

Corpo foi encontrado em uma estrada vicinal no no Jardim Anache  (Foto: Marina Pacheco)Corpo foi encontrado em uma estrada vicinal no no Jardim Anache (Foto: Marina Pacheco)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions