A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

18/01/2016 15:45

Com 960 na redação, jovem supera ponto fraco e conquista vaga na UFMS

Ricardo Campos Jr.
Vinícius ficou a 40 pontos de atingir a nota máxima na redação do Enem (Foto: Gerson Walber)Vinícius ficou a 40 pontos de atingir a nota máxima na redação do Enem (Foto: Gerson Walber)

Aprovado em 4º lugar para engenharia elétrica na UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), Vinícius Valle Tostes da Fonseca, 19 anos, obteve uma das maiores notas em redação no Enem: 960. Não foi por acaso que o estudante por pouco não atingiu 1.000, a pontuação máxima: sabendo que a escrita era seu ponto fraco, contou com ajuda de três professores da área enquanto se preparava para a avaliação.

Para se ter uma ideia, a média nacional nesse quesito foi entre 501 e 600. No país, 53 mil zeraram a redação e apenas 104 em todo o Brasil conseguiram a nota máxima.

A lista dos aprovados no Sisu (Sistema de Seleção Unificada), que tem por base a nota do Enem, foi divulgada nesta segunda-feira (18). As matrículas serão na sexta-feira (22).

“Eu já esperava ir bem, mas não tanto. A pontuação me surpreendeu, fiquei bastante emocionado. Talvez se não fosse tão alta, não teria conseguido entrar [na faculdade]”, relata o jovem.

Com pontuações de 820 em matemática, 630 em ciências da natureza, 686 em ciências humanas e 583 em linguagens, e levando em consideração os pesos para os cursos pretendidos, Fonseca obteve média geral de 745,3, o que o manteve na lista de aprovados até o fim das inscrições no Sisu.

“Estava na torcida para passar em primeira chamada. No fundo, a gente sabe que passou, mas só fica feliz com o nome na lista”, afirma.

A confiança do estudante tem motivo. Ele abriu mão de festas e dos passatempos favoritos para focar nos estudos. Fonseca conta que chegava ao cursinho às 7h30 e saía só às 21h, parando para o almoço.

Vinícius abriu mão de festas e estudava nove horas por dia (Foto: Gerson Walber)Vinícius abriu mão de festas e estudava nove horas por dia (Foto: Gerson Walber)

Redação - O rapaz sabia que deveria se concentrar mais na produção de texto em razão das pontuações em exames anteriores, quando se inscreveu como treineiro durante o ensino médio, cursado no IFMS (Instituto Federal de Mato Grosso do Sul).

“Fiz um semiextensivo, com os professores Ana Maria e Alex André, e um curso a parte com o professor Sérgio Campos, que foram os três principais que me ajudaram nessa área”, lembra, agradecido, o estudante.

O segredo, para o jovem, é pensar no produto final do texto, o que envolve uma série de contextos específicos da prova.

“Você tem que saber quem vai ler sua redação. No Enem, principalmente, você tem que se atentar que o corretor está sob pressão e tem que corrigir seu texto em, no máximo, dois minutos, então eu acredito que tem que se apegar a uma linguagem simples e objetiva o máximo possível”, aponta Fonseca.

O estudante já tem vaga garantida na universidade, mas vai esperar a segunda chamada para engenharia civil. Até o penúltimo dia de inscrições no Sisu ele estava em último lugar da lista. Isso significa que ele está bem próximo de ser chamado, levando em consideração os anos anteriores, quando houve mais de uma chamada para preencher as vagas remanescentes.

Eventos de Natal, inauguração de igreja e obras interditam 9 ruas na Capital
A Agetran (Agência Municial de Transporte e Trânsito) informa que pelo menos 9 ruas terão o tráfego impedido neste domingo (17) em Campo Grande. O fe...
Bandidos armados com faca usam carro prata para assaltar vítimas
Dois homens armados com faca em um carro prata - com placas HTI-8594 - assaltaram ao menos duas vítimas, na madrugada deste domingo (17), no Bairro C...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions