ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, DOMINGO  26    CAMPO GRANDE 17º

Capital

Com cruzes e nariz de palhaço, PRFs protestam por melhores condições de trabalho

Ato aconteceu no pontilhão da Avenida Fábio Zahran com a Fernando Corrêa da Costa

Por Viviane Oliveira e Mariely Barros | 26/05/2022 10:16
Cruzes fixadas no canteiro representam os policiais que morreram de covid. (Foto: Mariely Barros)
Cruzes fixadas no canteiro representam os policiais que morreram de covid. (Foto: Mariely Barros)

Com narizes de palhaço e cruzes, cerca de 50 policiais rodoviários federais protestaram por melhores condições para a categoria, na manhã desta quinta-feira (26), em frente ao prédio da corporação, no cruzamento das avenidas Fábio Zahran com a Fernando Corrêa da Costa, em Campo Grande. O ato faz parte da mobilização nacional pela reestruturação da PRF.

O presidente do SINPRF/MS (Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais), Wanderley Alves dos Santos, destacou os prejuízos acumulados nos últimos anos e afirmou que a categoria reivindica a reestruturação de carreiras policiais prometida, desde 2019, pelo chefe do Executivo federal.

“Esse governo surpreendeu a todos, prometeu segurança e só olhou para o agronegócio e os grandes empresários. Estamos esperando promessas que não foram cumpridas. Essa falta de reestruturação gera frustração.”

Policiais durante a manifestação. (Foto: Mariely Barros)
Policiais durante a manifestação. (Foto: Mariely Barros)

As 50 cruzes fixadas, amarelas e brancas, no canteiro simbolizam os policiais que morreram durante a pandemia da covid-19, período em que foram batidos recordes de apreensão de drogas. O sindicalista citou também a falta de assistência jurídica aos servidores como parte das reivindicações.

"Por exemplo, o servidor que tiver algum problema jurídico no exercício da função tem de arcar com advogado", disse. Segundo Wanderley, outra questão é a falta de assistência à família do servidor que morre em serviço. É uma luta da PRF há anos", lamentou. A categoria também pede mudança no pedido de deslocamento e formação.

Nos siga no Google Notícias