ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, DOMINGO  20    CAMPO GRANDE 22º

Enquetes

Contra “lei seca”, 65% dos leitores não concordam com decreto da prefeitura

Consumo de bebida alcoólica está proibido em supermercados, bares, restaurantes e conveniências até domingo (16)

Por Adriano Fernandes, Aletheya Alves e Ana Paula Chuva | 13/08/2020 07:10
Movimentação em bar da Capital no mês de junho. (Foto: Henrique Kawaminami)
Movimentação em bar da Capital no mês de junho. (Foto: Henrique Kawaminami)

Publicado na última terça-feira (11), decreto municipal proíbe consumo de bebida alcoólica em supermercados, bares, restaurantes, conveniências e via pública até o próximo domingo (12). Em enquete do Campo Grande News, 65% dos leitores votaram que não concordam com a medida.

A venda continua sendo permitida, mas o consumo no local fica proibido. Pensando nos altos números de acidentes, a ideia é diminuir o número de ocorrências que ocupam os leitos de UI (Unidade de Terapia Intensiva). De todos os votos, apenas 35% concordam com o decreto.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

A podóloga Elisabeth Riberio, por exemplo, acredita que o novo decreto é injusto com os empresários.

"É muito injusto com os donos de bares que já estão sofrendo com o toque de recolher, se fosse para resolver, teria que proibir a venda em todos os lugares. É chover no molhado.

Já o técnico de enfermagem Jeferson Carvalho, também reconhece que o novo decreto vá causar prejuízos a vários setores, mas ainda acredita que esta é a melhor alternativa.

"Na verdade qualquer empresa irá sofrer com o prejuízo, mas a medida é fundamental para que seja evitado um dano muito maior. Por exemplo, um lockdown pode prejudicar muito mais o setor.

O personal trainer Fernando Góes também vê o novo decreto como uma aliado no combate a pandemia ao mesmo tempo que não impede o lazer dos moradores em suas casas.

"O intuito da proibição do consumo de bebidas em locais públicos é fazer com que o número de casos de pessoas infectadas entre em declínio, desta forma eu considero válido, visto que é apenas momentâneo. As pessoas ainda poderão adquirir as bebidas e usufruir das mesmas no conforto de seus lares.

Penalidades - O empresário que descumprir a "lei seca" pode perder o alvará de funcionamento. A punição máxima será aplicada em caso de reincidência do estabelecimento. Já para o cliente que for pego consumindo álcool em locais públicos, o primeiro passo será uma conversa, como ocorre com o toque de recolher.