A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

29/01/2013 16:13

De 8 casas notificadas, 6 dizem que estão adequando plano de segurança

Gabriel Neris e Mariana Lopes
Bombeiros realizaram vistoria hoje em oito locais considerados irregulares (Foto: Rodrigo Pazinato)Bombeiros realizaram vistoria hoje em oito locais considerados irregulares (Foto: Rodrigo Pazinato)

A tragédia que matou 234 pessoas – número atualizado hoje (29) pelo IGP (Instituto Geral de Perícias) – na boate Kiss, em Santa Maria (RS), gerou reflexos em Campo Grande. Oito locais que promovem festas e cerimônias estão irregulares e foram notificados pelo Corpo de Bombeiros a providenciar mudanças. Destes, seis informaram que estão se adequando às alterações solicitadas. 

Na casa noturna Cabaret, localizada na avenida Mato Grosso, a fiscalização ocorreu no mês de novembro do ano passado. Na ocasião, o Corpo de Bombeiros solicitou ao proprietário da boate o Projeto de Prevenção Contra Incêndio e Pânico, que no mesmo mês foi enviado ao comando dos bombeiros.

De acordo com a assessoria de comunicação da Cabaret, a casa noturna opera com alvará provisório, que venceu no dia 17 de janeiro, enquanto aguarda a assinatura dos bombeiros aprovando o projeto.

Na vistoria realizada nesta terça-feira, conforme informação da assessoria, o tenente coronel do Corpo de Bombeiros Hudson Faria de Oliveira afirmou que até a próxima sexta-feira (1) o projeto estará assinado e a casa noturna receberá o alvará definitivo, que é válido por um ano.

Com a vistoria na boate Move Club, feita no ano passado, os bombeiros apontaram apenas uma adequação necessária para melhorar a segurança do local. De acordo com um dos proprietários da casa noturna, Rafael Cance, a exigência foi de a implantação de uma barra em uma das rampas de acesso à boate.

Quanto à sinalização do local e as quatro portas de emergência que tem na boate, Rafael afirma que foram consideradas adequadas. “A casa não foi impedida, foi só para melhorar a segurança”, afirma. O alvará da Move, segundo o proprietário, vence no dia 22 de fevereiro.

Na casa noturna TTriu’s Hall a vistoria feita pelos bombeiros, no ano passado, requisitou adequação do gás da cozinha, do portão de entrada e saída da boate e o retardante de incêndio.

Conforme a explicação do proprietário do estabelecimento, Cledemir Bamboquiam dos Santos, antes era utilizada a mesma válvula de gás para dois botijões, e a boate teve que passar a utilizar somente uma para cada botijão.

Sobre o portão, os bombeiros avaliaram que o espaço era pequeno para a saída do público, então Cledemir retirou a porteira que havia no local.

A respeito do retardante, trata-se de um produto que o proprietário teve que passar nas madeiras da boate que enfraquece a ação do fogo e evita a propagação de um incêndio. Segundo os bombeiros, o tecido usado na decoração da casa noturna é adequado às normas brasileiras.

O novo projeto arquitetônico da casa noturna TTriu’s Hall, feito pelo engenheiro José Carlos Benites, foi aprovado pelo Corpo de Bombeiros em outubro do ano passado. Nele, aponta que a boate tem 229 m² de área para o público, com capacidade para 460 pessoas.

O gerente do Pallacius Eventos, Roberto Góes, afirmou que houve vistoria dos bombeiros hoje pela manhã e apenas algumas orientações de adequação foram repassadas. Góes diz que o local conta com cinco saídas de emergência, sendo duas no auditório e três no salão de festa com capacidade para 400 pessoas.

Bombeiro confere prazo de validade de extintor de incêndio dentro de boate (Foto: Rodrigo Pazinato)Bombeiro confere prazo de validade de extintor de incêndio dentro de boate (Foto: Rodrigo Pazinato)

Entre as adequações estão às sinalizações de luz de emergência. Ele afirma que o prazo de validade dos extintores é vistoriado constantemente. “O susto foi grande para todo mundo, é uma responsabilidade pra gente que lida com público. É uma pena que será feito depois de um incidente. Tem que ser fiscalizado”, comenta.

De acordo com o diretor dos Serviços Técnicos do Corpo de Bombeiros, coronel Oliveira Franco, as exigências feitas na primeira vistoria no Loft Garden, no final do ano passado, foi pedido adequação de iluminação de emergência, corrimão e guarda-corpo.

Na vistoria de hoje foi registrada a falta de um guarda-corpo, que serve de proteção ao corpo das pessoas, principalmente, para a segurança de crianças que poderiam ultrapassar o espaço entre a base e o corrimão e se projetar no espaço vazio até o chão.

A gerente do local, Camila Brandão, disse que o alvará vence no mês de abril. Ela informou que a única solicitação ainda não atendida é a colocação de guarda-corpo em um prédio não utilizado que fica no mesmo terreno do espaço. Segundo ela, mesmo sem usar o prédio, a solicitação vai ser atendida.

A reportagem do Campo Grande News tentou entrar em contato com o Clube Libanês e o Clube Bom Demais, mas não houve retorno.



as igrejas tb tem que ser fiscalizadas.
 
João Oliveira em 31/01/2013 08:33:44
Esses "bares" da Afonso Pena que viraram "casas noturnas" tem esquema...sendo que uma delas tem como proprietário um Bombeiro....vai vendo!
Aí que começa o jeitinho brasileiro!...
 
Ademar Bezerra em 30/01/2013 10:56:46
E os bares da afonso pena, que cobram ingressos, tem pistas de danças e superlotam nos finais de semana que são verdadeiras casas noturnas, não seram vistoriados?
 
paulo neres carvalho em 30/01/2013 08:38:46
Se for analisar, tem que fechar tudo, nenhuma tem condições, isso é só balela, quero ver fechar a Valey que tewm uma entradinha que é a mesma saída.
 
Carlos Eduardo Girão em 30/01/2013 08:08:49
a realidade é uma só, todos os empresários só visam o lucro, ganância do dinheiro, investir em segurança ao próximo, nem pensar, outra coisa importante p nosso estado MS, e o que se sonegam dentro desses clubes?, é igual a postos de combustíveis.
 
rodrigo do carmo em 30/01/2013 07:35:13
QUE PENA QUE AS PESSOAS SÓ SE PREOCUPAM UMAS COM AS OUTRAS APÓS ESSAS TRAGÉDIAS, MAS A RAÇA HUMANA AINDA TERÁ MUITO TEMPO PARA SE ADEQUAR ÀS LEIS DA VIDA.
 
MARIVALDO ABDIAS em 29/01/2013 23:01:19
É triste reconhecer que só passamos a nos preocupar com isso depois dessa tragédia! A fiscalização deve ocorrer sempre como de costume, mas temos que nos conscientizar de que o Estado não cumpre sua função... isso é lamentável! Quanto ao comentário da valley pub e acustic também gostaria de saber o resultado da fiscalização naquele lugar... Sempre lotado, madeiras por todo lado, cortinas e além disso, também fazem uso de show pirotecnico!
 
Ludmila Leite em 29/01/2013 21:11:43
Daqui a dois, três meses no máximo, tá tudo como era antes. É só cair no esquecimento.
 
Marcos Figueiredo em 29/01/2013 19:39:00
E a Valley Pub e Valley Acoustic Bar?....Será que vão visitá-los?
Aquele monte de chápeu no teto, móveis de madeira velhos, tapetes, cortinas, etc...
Fora que não tem pra onde correr...só portinhas pequenas!
 
Ademar Bezerra em 29/01/2013 17:04:30
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions