ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SEGUNDA  21    CAMPO GRANDE 17º

Capital

Defeito em aparelho tira “Onda Verde” do ar na avenida Afonso Pena

Por Viviane Oliveira | 22/02/2012 19:35
O taxista lamenta que a Onda Verde não está funcionado. Para ele a sincronia é uma maravilha. (Foto: Marlon Ganassin)
O taxista lamenta que a Onda Verde não está funcionado. Para ele a sincronia é uma maravilha. (Foto: Marlon Ganassin)

Há pelo menos uma semana, não está funcionando a chamada Onda Verde, sistema que sincroniza os semáforos, na Avenida Afonso Pena, um dos principais corredores do trânsito em Campo Grande. O problema, conforme a Agetran, é o defeito em um aparelho que faz a sincronização dos semáforos.

Entre os motoristas, o fato de não pegar "caminho livre" com a Onda Verde está gerando reclamações. O taxista Valmiro Gomes de Oliveira, 65 anos, disse que até a semana passada a sincronia estava normal e que, com ela, o trânsito flui melhor.

"O cliente aprova e desgasta menos o carro. Quando está funcionando é uma maravilha. O problema é que têm motoristas que não sabem usar”, disse Valmiro que alguns atrapalham o trânsito porque não estão atentas as avenidas que tem o sistema implantado.

O diretor-presidente da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), Rudel Trindade, disse que um aparelho que faz a sincronização está com defeito. “Estamos com problema no cruzamento da 13 de maio e na altura da Casa da Indústria".

Segundo Rudel, há uma semana que o problema foi detectado por funcionários da Agetran e amanhã uma equipe técnica vai fazer os levantamentos dos equipamentos que estão com defeitos. Segundo ele, pode levar de 4 a 5 dias para voltar ao normal. Rudel explica que está época do ano por causa chuva, é comum aparecer problemas nos semáforos.

A Onda Verde funciona em 110 cruzamentos, conforme o diretor, até o final do ano a intenção é implantar a sincronização em 210 cruzamentos, incluindo uma central de controle para detectar defeitos, como este que ocorreu na Afonso Pena.

Rudel ressalta que já é possível perceber a desobstrução do fluxo, que resulta no fim do congestionamento. “Alguns motoristas ainda não ajustaram a velocidade de maneira que seja possível pegar os semáforos abertos, como por exemplo, por manter velocidade muita baixa ou por falta de atenção.

Para o mototaxista Valdecir Faria Rocha, 47 anos, a sincronização melhorou muito o trânsito, mas em alguns momentos não dão certo. “Eu não consegui entender ainda qual a velocidade ideal para conseguir pegar a Onda Verde”, questiona.

O diretor da Agetran explica que depende do fluxo de veículos, mas para ele o ideal é de 35 a 40 quilômetros. “Com a velocidade certa e atenção o trânsito flui bem”.

De acordo com ele, a sincronia funciona todos os dias. Apenas em horário de mais fluxo é ajustado a sincronia para uma melhor coordenação do trânsito.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário