ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, SEXTA  24    CAMPO GRANDE 24º

Capital

Dois consórcios disputam licitação para gestão do lixo até 2037

Nicholas Vasconcelos e Nadyenka Castro | 16/07/2012 14:37

Dois consórcios, intitulados Campo Grande Solurb e HFMA Resíduos Urbanos, disputam a licitação para a gestão do lixo em Campo Grande até 2037. O valor envolvido supera R$ 1,8 bilhão. Os envelopes começam a ser abertos na tarde desta segunda-feira (11) na Prefeitura de Campo Grande.

O primeiro consórcio é formado pela Financial Engenharia Ambiental e pela LD Construções. O outro grupo é integrado pelas empresas Heleno Fonseca Construtora, Agricolas Construtora Monte Azul e Monte Azul Engenharia.

Os cadernos com as propostas tem perto de 400 páginas. Após a análise, o resultado vai ser divulgado no Diário Oficial.

O prédio da Prefeitura teve a segurança reforçada para a entrega das propostas e foi cercado com alambrados. Normalmente trabalham 10 seguranças no prédio e hoje o efetivo é de 60 guardas municipais.

A empresa vencedora precisa ter capital social mínimo de R$ 53,8 milhões e ficará responsável também pela coleta e tratamento do lixo hospitalar, coleta seletiva, recuperação do lixão na saída para Sidrolândia e ainda a construção de um crematório para animais de pequeno porte.

O consórcio vencedor também prevê a varrição de ruas, pintura de meio-fio, limpeza de vias após realização de feiras livre e limpeza manual de bocas de lobo. A prefeitura vai pagar por este serviço, no primeiro ano, R$ 53,8 milhões.

O edital requer 34 caminhões, exigindo veículos zero quilômetro para a coleta do lixo residencial e também 200 contêineres para o recolhimento de resíduos sólidos.

A última licitação do lixo foi realizada em 2005, quando o serviço, após 24 anos, passou da Vega Ambiental para a Financial. À época, o edital foi lançado no valor de R$ 70 milhões.

Três ações judiciais foram protocoladas para tentar barrar a abertura dos envelopes, questionando o edital licitatório.

Nos siga no Google Notícias