ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, TERÇA  25    CAMPO GRANDE 29º

Meio Ambiente

Edital prevê prêmio por redução da quantidade de lixo, mas só 13% de reciclagem

Aline dos Santos | 14/07/2012 14:30

Dentre as metas do contrato, está a redução de resíduos, que vai resultar em aumento de remuneração da contratada.

Das 209 mil toneladas de lixo produzidas na cidade, somente 28 mil entram na coleta seletiva. (Foto: Marcelo Victor/Arquivo)
Das 209 mil toneladas de lixo produzidas na cidade, somente 28 mil entram na coleta seletiva. (Foto: Marcelo Victor/Arquivo)

Mesmo dando incentivo financeiro caso a vencedora da licitação reduza a produção de lixo em Campo Grande, a prefeitura calcula que apenas 13,6% das 7,6 milhões toneladas projetada para os próximos 25 anos sejam recicladas. Desta forma será mantido o mesmo percentual de hoje. Das 209 mil toneladas de lixo produzidas na cidade, somente 28 mil entram na coleta seletiva, portanto, 13,3%.

Os dados são do edital para contatar a empresa que vai gerenciar o lixo pelos próximos 25 anos, com pagamento de até R$ 1,8 bilhão pelos serviços. O prazo pode ser prorrogado por mais 10 anos. As propostas serão abertas na próxima segunda-feira, quando os concorrentes vão entregar documentos de habilitação, proposta técnica e de preços.

Dentre as metas do contrato, está a redução de resíduos, que vai resultar em aumento de remuneração da contratada na mesma proporção. Por exemplo, a obtenção de uma redução de 5% nos resíduos depositados no aterro sanitário permitirá a empresa vencedora obter o percentual de 5% de acréscimo em receitas complementares.

A usina de triagem, que vai reduzir a quantidade de resíduos que chegará ao aterro sanitário, será coordenada pela vencedora da licitação. A operação da usina ficará a cargo de cooperativa indicada pela prefeitura. O grupo deve pagar todos os gastos, inclusive o consumo de energia elétrica. Somente o transporte do material não será pago pelos cooperados.

Caso, o trabalho fique inviabilizado, a empresa assume a tarefa e passa ser remunerada pelo poder público. Já a receita proveniente da venda de recicláveis será revertida integralmente para a prefeitura ou a quem o Poder Executivo determinar, como cooperativa e organização de catadores de materiais recicláveis.

Nos siga no Google Notícias