A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 14 de Agosto de 2018

21/11/2011 19:28

Dupla é presa por golpes com falsos códigos de barra a atacadista

Nadyenka Castro

Josias Santiago da Silva e Luciano Lúcio falsificavam código de barras e com isso ‘compravam’ produtos de preços mais altos pagando menos; assista ao vídeo

Imagens do circuito interno do supermercado ajudaram na identificação dos golpistas. Eles foram presos em flagrantes. (Foto: Divulgação/ Polícia Civil)Imagens do circuito interno do supermercado ajudaram na identificação dos golpistas. Eles foram presos em flagrantes. (Foto: Divulgação/ Polícia Civil)

Estão presos dois homens que aplicaram golpe a um supermercado de uma rede atacadista. Josias Santiago da Silva, 43 anos, e Luciano Lúcio, 36 anos, deram prejuízo de R$ 15 mil ‘comprando’ mercadorias com código de barras falsificado.

A dupla foi presa por policiais da 4ª Delegacia de Polícia Civil no último dia 17 quando comprava vodka com preço de Ice. Funcionários já tinham sido alertados sobre o golpe e quando suspeitaram dos dois homens acionaram a Polícia, que fez a prisão em flagrante. Pelas imagens do circuito interno foi possível identificar os suspeitos.

De acordo com a Polícia Civil, no último dia 2, dois homens compraram 56 caixas fechadas de chocolate Biz e pagaram R$ 1,2 mil. Trabalhadores do setor de estoque verificaram que estavam faltando as caixas do produto e que estavam sobrando as de Laka e constataram que havia algo de errado no caixa.

A primeira suspeita era de que funcionários estariam envolvidos no ‘sumiço’ da mercadoria. No entanto, foi constatado que a culpa era de Josia, de Luciano e de mais duas pessoas que estão sendo procuradas: um homem identificado como Vagner e uma mulher.

A Polícia constatou que a quadrilha falsificava código de barras. Primeiro o bando ia ao comércio, verificava os preços e copiava o tamanho da etiqueta e a numeração do código da mercadoria escolhida. Depois a cópia era feita em gráfica.

O terceiro momento era a execução do estelionato. A quadrilha voltava ao supermercado, colava a etiqueta falsificada - com preço mais baixo - em uma caixa fechada do produto similar mais caro.

No caixa, os golpistas informavam ao funcionário a quantidade do produto, que era confirmada. Na última caixa da mercadoria, que estava com a falsa etiqueta, era consultado o preço.

No primeiro golpe, os estelionatários passaram 56 caixas de Biz com preço de Laka. Segundo a Polícia, eles pagaram R$ 1,2 mil, sendo que o valor correto seria R$ 8,5mil. No segundo, quando foram presos, passaram 32 caixas de vodka Smirnoff com preço de Smirnoff Ice e pagaram R$ 2 mil. O certo seria R$ 9 mil.

De acordo com a Polícia Civil, a quadrilha mandava os produtos para o interior de São Paulo. Josias já foi preso pelo mesmo golpe em São José dos Campos.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions