A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 23 de Agosto de 2019

30/05/2019 12:39

Em debate de violência contra mulheres, vereadores batem boca sobre machismo

A subsecretária de Políticas para as Mulheres, Carla Stephanini falou sobre a semana de combate ao feminicídio durante a sessão

Fernanda Palheta
Vereadores Valdir Gomes (PP) e André Salineiro (PSDB) batem boca sobre violência contra mulher durante sessão da Câmara (Foto: Fernanda Palheta)Vereadores Valdir Gomes (PP) e André Salineiro (PSDB) batem boca sobre violência contra mulher durante sessão da Câmara (Foto: Fernanda Palheta)

O que era para ser um debate sobre a violência contra a mulher, na semana estadual de combate ao feminicídio se transformou em um bate boca sobre machismo entre vereadores Valdir Gomes (PP) e André Salineiro (PSDB), na sessão ordinária desta quinta-feira (30), na Câmara Municipal de Campo Grande.

Após a fala da subsecretária de Políticas para as Mulheres, Carla Stephanini (MDB), durante a palavra livre, os parlamentares usaram o microfone para debater sobre tema.

O vereador Valdir Gomes iniciou sua fala dizendo que não poderia deixar de se posicionar. “Até porque a gente tem visto, a gente assiste televisão e a mulher vai, denúncia o marido. Ai o marido conversa e no outro dia aparece na televisão ela sentada no colo e beijando. Então, as mulheres também precisam entender e deixar essa dependência”, afirmou. No fim da sua fala, o vereador do PP acrescentou: “Agora tem mulher que prefere apanhar e de noite dormir com o marido”.

Em seguida o vereador André Salineiro usou o microfone para falar sobre os mecanismos que as mulheres podem usar para denunciar as violências sofridas. Também no fim de sua fala ele citou o colega. “O colega Valdir falou que muitas mulheres gostam de apanhar, eu não sei se é esse o termo”, apontou. O tucano continuou a fala afirmando que muitas mulheres não têm coragem e temem pela própria vida.

Diante do comentário de Salineiro, Valdir pediu a palavra, lembrou que a sessão é gravada e pediu para que a fala do tucano fosse retirada. “Eu não disse que mulheres gostam de apanhar. Eu disse que as mulheres perdoam. Elas apanham, e depois vão dormir juntos. Isso com base no que eu tenho visto”, justificou. E exaltado ele reforçou: “não ponha palavras na minha boca. O que eu falo eu assumo”.

Em resposta, Salineiro afirmou que “não foi fala isso”, mas caso tenha sido seria retirado. O tucano ainda completou dizendo que Valdir não tinha que “dar chilique” e “aumentar a voz”. O bate boca teve fim o posicionamento da Mesa Diretora pedindo o andamento da sessão e o fim da palavra livre.

Discurso repetido – Esta não é a primeira vez que o vereador Valdir Gomes faz comentários sobre violência contra mulher. No início do mês, também durante a palavra livre que debateu violência doméstica, o parlamentar afirmou que as mulheres apanham e continuam com os agressores.

Durante sua fala, ele ainda expôs o caso de violência de uma mulher. “A todo o momento a gente vê isso, mulheres omissas, não pode deixar. Uma mulher*, por exemplo, o marido quebrou a perna dela e na delegacia ela se negou a lavrar um boletim de ocorrência”, relatou.

Segundo ele, isso ocorre porque as mulheres tem medo de “perder” o homem e continuou dizendo sobre o caso: “tinha que apanhar ela e não ele”, fazendo referência sobre a decisão da mulher em não denunciar.

*A reportagem não detalhou o exemplo dado pelo vereador para não expor a vítima da violência

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions