A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

24/08/2014 09:34

Escuridão e roubos assustam e estudantes pedem mais segurança na Ceará

Alan Diógenes
Escuridão toma conta da região e veículos ficam expostos a bandidos. (Foto: Marcelo Calazans)Escuridão toma conta da região e veículos ficam expostos a bandidos. (Foto: Marcelo Calazans)

O assunto não é novo, mas apesar das ocorrências constantes, a comunidade ainda não conseguiu reverter a insegurança na Rua Ceará, perto da Universidade Anhanguera/Uniderp. Acadêmicos já foram assaltados, vendedores roubados e até mesmo um tiroteio já aconteceu na região. Nos últimos 20 dias, dois veículos foram roubados na região.

O comerciante Edson Victor Martins, 41 anos, que é proprietário há 13 anos de uma lanchonete em frente à faculdade, conta que já foi atingido por dois disparos de arma de fogo durante um “arrastão”, ocorrido em novembro do ano passado.

Na ocasião, quatro rapazes chegaram em duas motocicletas, anunciaram o assalto e levaram dinheiro e celulares dele e dos clientes que estavam no local. Em seguida efetuam dois disparos contra o comerciante que passou por atendimento médico na Santa Casa.

“Eles mandaram todos ficar no chão e levaram tudo. Chamamos a polícia, mas ninguém apareceu. Acredito que deveria haver policiamento na entrada e na saída dos estudantes para manter a segurança. Para você ter noção, até quando os alunos estão em aula, aparecem meliantes cuidando carro e moto para roubar por aqui. Quando a gente os vê fechamos tudo e vamos embora”, explicou Edson.

O estudante Hamilton Oliveira Rodrigues ainda lembra do dia do tiroteio. “Foi um desespero total e todos saíram correndo”, comentou.

O fiscal de lojas Gabriel Freitas, 20, falou que a escuridão toma conta da região no período noturno e aumenta o risco nos pontos de ônibus mais afastados da universidade. “Se os bandidos já estão assaltando as pessoas no meio da multidão, imagina nos pontos de ônibus mais longe”, apontou.

Revoltada com a falta de segurança, a auxiliar administrativa Marília Cristina Pereira de Souza, 23, afirmou que é uma injustiça com pessoas de bem. “As pessoas dão duro para conseguir as coisas e vem o ladrão e rouba tudo. Merecemos mais segurança”, finalizou.

Conforme a assessoria de comunicação da Polícia Militar, o policiamento é feito na região, principalmente quando há maior aglomeração de pessoas, ou seja, na entrada e saída de alunos no período da manhã e noite.

A assessoria também faz um alerta para os estudantes deixarem os veículos dentro dos estacionamentos oferecidos na região e não fora, como geralmente acontece, além de evitar transitar em locais sem iluminação pública, para evitar a ação dos bandidos.

Estudantes afirma que lugar é ermo e atrai pessoas mal intencionadas. (Foto: Marcelo Calazans)Estudantes afirma que lugar é ermo e atrai pessoas mal intencionadas. (Foto: Marcelo Calazans)
Dono de comércio na região, Edson foi baleado durante assalto. (Foto: Marcelo Calazans)Dono de comércio na região, Edson foi baleado durante assalto. (Foto: Marcelo Calazans)
Confundido com ladrão, homem causa acidente e acaba agredido
Flávio Guimarães Fernandes, 39 anos, foi confundido com ladrão e agredido por moradores após se envolver em acidente. O caso aconteceu na madrugada d...
Sesau e SES recolhem quase 10 toneladas de lixo no Jardim Noroeste
A ação de recolhimento de lixo realizada em casas e terrenos baldios no Jardim Noroeste - bairro localizado na regiões leste de Campo Grande - somou ...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions