A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

11/01/2014 09:23

Família contesta polícia e diz que tiro em jovem foi a queima-roupa

Filipe Prado
Jocildo ficou internado na Santa Casa e diz ter levado tira a queima-roupa (Foto: Arquivo Pessoal)Jocildo ficou internado na Santa Casa e diz ter levado tira a queima-roupa (Foto: Arquivo Pessoal)

A família do rapaz que levou um tiro no olho, no dia 31, no Bairro Nossa Senhora das Graças, saída para Rochedo, afirma que ele não é bandido e não agrediu a PM (Polícia Militar). Eles acusam os policias de atirarem a queima-roupa no eletricista Jocildo Meza Prado, 20 anos.

De acordo com a atendente e mãe do rapaz, Deonilce Beatriz Meza, 39, a família toda estava festejando o réveillon, quando perceberam os tiros. “Estávamos de costas para onde meu filho estava, quando um garoto chegou correndo e gritando, dizendo que os policiais haviam atirado nele”.

A mãe conta que ela viu o filho com a mão no olho e todo ensanguentado, então correu direto para ele. “Eu corri e perguntei onde estaria o irmão (Geovane Meza Prado, 19) dele, mas ele não me respondeu, estava em choque. Então vi o Geovane sentado na calçada, paralisado”, afirma.

Deonilce explica que os vizinhos e os sobrinhos relataram uma história diferente da PM. “Meu filho estava na casa dele, próximo a minha, quando passaram os policiais. Ele abaixou o volume do som do carro e continuo parado ali, encostado em seu carro. Foi quando um menino chegou e gritou feliz ano novo para os policiais, fazendo gestos com o dedo indicador”.

Foi quando aconteceram os tiros. Segundo a tia de Jocildo, Nancy Antonia Meza, 36, os policiais já desceram atirando, balas de borracha, no rapaz. “Tudo aconteceu em questão de minutos. Os policias pararam o carro, detiveram o menino que fez os gestos e começaram a atirar. Mas o tiro foi a queima-roupa, pois o policial chegou há uns três metros do meu sobrinho e atirou”, conta.

“Eu puxei o policial e mostrei o que ele tinha feito com o meu sobrinho, então eles, junto com o pai, colocaram Jocildo na viatura e o levaram para o pronto-socorro da Santa Casa”, conta Nancy. Mas no meio do caminho a policia encontrou o Corpo de Bombeiros e o rapaz foi levado por eles para o hospital.

Mas na Santa Casa, segundo a mãe, Geovane e seu o primo foram presos. “Eles ficaram irritados com a situação e derrubaram algumas coisas, mas a policia os prendeu dizendo que eles estariam destruindo o local”, comenta. Ela conta que os jovens foram presos e levados até a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) centro. “Eles ficaram da 0h40 até as 5h sendo espancados pelos policiais”, garante.

A família de Jocildo afirma que os policiais agiram de forma errada. “Acho uma barbaridade, pois se tivesse um motivo, tudo bem, eu até entenderia, mas eles não estavam fazendo nada ali”, comenta a atendente. Geovane afirma que os PMs não atiraram no chão em momento algum. “Eles não atiraram nem para o alto e nem para o chão, nem pediram para ficarmos na parede. Eles atiraram a queima-roupa”.

O jovem está internado para no setor de oftalmologia da Santa Casa e seu estado é estável, mas segundo a mãe de Jocildo, ele perdeu completamente a visão do olho esquerdo. O rapaz obteve alta na quinta-feira (09). 

Polícia Militar - De acordo com a chefe de comunicação social da PM (Polícia Militar), major Sandra Alt, a polícia foi até o bairro verificar uma tentativa de homicídio. Eles encontraram um homem, com um ferimento na barriga. Então testemunhas indicaram características e uma possível localização do autor do crime.

Duranta a ronda, a PM acabou chegando até a rua onde Jocildo mora e percebeu um aglomerado de pessoas no local. "Então um adolescente gritou para os policias, que desceram do veículo e decretaram voz de prisão". Ela conta que os moradores estavam exaltados, pois se juntaram e começaram a atirar pedras nos policiais.

"Um dos policiais deu um tiro, para baixo, para dispersar a multidão", explica a major. Sandra afirma que dois adolescentes foram colocados dentro do camburão, para serem levados até a delegacia, quando os moradores falaram que um rapaz havia sido baleado na cabeça.

A major explica que a PM colocou o jovem dentro do carro e o levou para o pronto-socorro. No meio do caminho, transferiram a vítima para o Corpo de Bombeiros.

Sandra ainda revelou que todos os envolvidos no caso teriam passagem pela polícia. "Todos tem várias passagem pela polícia, inclusive o que foi baleado, que tem uma passagem por furto", garante.

De família de escritores, médico lança amanhã livro com poemas
O renomado psiquiatra Marcos Estevão lança nesta quinta-feira (14) em Campo Grande o livro de poesias "Pedaços de Mim", que é um compilado de poemas....
Renegociação de dívidas com a Águas Guariroba pode ser feita até o dia 29
Vai até o dia 29 deste mês a campanha "Fique em Dia", realizada pela Águas Guariroba para renegociar as dívidas que os consumidores têm com a empresa...
Com inspiração japonesa, luzes vão iluminar compras no Centro
Iluminação especial passa a ser adotada, nesta quarta-feira (13), na região central de Campo Grande. Dezesseis estruturas de alumínio, com lâmpadas d...


Gostaria aqui de parabenizar o campo grande news por abrir esse espaço ao publico para que as pessoas possam formar opiniões. Infelizmente algumas pessoa leva pro lado pessoal, o que não contribui com nada, e o campo grande news faz da forma correta mostra a matéria de forma imparcial pois realmente só Deus e a justiça pra julgar. Gostaria aqui de sitar mais uma coisa o caso da criança de 11 anos que foi atingida por uma bala perdida, disparada por um bandido do Aero Rancho, que ceifou a vida de uma criança e ninguém critica esses bandidos. Não podemos ser hipócritas a criminalidade em campo grande esta crescendo muito e estamos cada vez mais presos em nossas casas. Devemos juntar forças contra os marginais e não contra a policia. Mais uma vez Parabéns Campo Grande News.
 
lindamar valerio em 15/01/2014 18:41:46
Fico contente que meus comentários surtiram efeitos, é visível que não só eu como as outras pessoas que comentaram refletiram em minhas palavras. Pois o único comentário contrario vem de uma pessoa da família. Eu analisei o caso friamente não por suposição e sim pelo conhecimento dos profissionais que trabalham naquela região. Estou muito satisfeita com o trabalho da PM do coophasul que estão dando um limpa nos marginais e incomodando. Ao meu ver eles merecem elogio. Entendo a dor da família e lamento muito por essa fatalidade, estou orando para que Deus conforte a família. Podem me criticar mas precisamos ser justos, sempre as pessoas criticam e condenam a policia mas não acredito que aqueles policiais iriam atirar pra todo lado só porque os bons meninos deram feliz ano novo. Me desculpe
 
lindamar valerio em 15/01/2014 18:22:33
:/
 
estellen cristina meza em 14/01/2014 14:54:03
È um absurdo as pessoas que nao estavam presentes no momento, julgar com comentários infelizes. E pra vcs que mencionaram o evangelismo;Frequentar a igreja nao quer dizer que seja crente e que nao possa ingerir bebida alcoólica. E mesmo que seja o caso, se nao estava presente nao faça insinuações. Eu estava no momento em que tudo aconteceu e só pra deixar claro pra voces que estao mal informados, ele nao estava na rua muito menos no meio de marginais. estava na frente de casa com toda familia , tinha crianças, deficientes, cadeirantes, poderia acertar qualquer um no momento. E me admira muito uma pessoa que se diz ser evangélica julgar o próximo sem conhecimento e ser tao infeliz nas palavras. ANTES DE CRITICAR BUSQUE INFORMAÇÕES PARA NAO FAZER JULGAMENTO BASEADO EM SUPOSIÇÕES !!!!!!!!!!!
 
estellen cristina meza em 14/01/2014 14:49:17
Diariamente vemos varias tragedias, e abusos de policiais porém tenho plena certeza que jamais esse policial iria atirar em um inocente sem ser em legitima defesa pois ele também é evangélico. Esses bravos policiais fizeram um limpa nos traficantes e bandidos que atordoam nossa comunidade da Coophasul. Pois bem em relação ao jovem baleado, sou evangélica e passei o revellion com minha família bebendo apenas suco e refrigerante, o que um irmão evangélico da igreja estaria na rua aglomerado com vários marginais e ingerindo bebida alcoólica. Acho que antes de atacar os profissionais que dão a vida por nos devemos refletir, é triste um ser humano perder a visão, mas sera que se ele estivesse com sua família em sua casa festejando e não na rua badernando ele seria baleado? Que Deus o Proteja.
 
Lindamar Valério - Conselheira Regional Comunitária em 13/01/2014 18:40:30
como pode aqi no nosso bairro os policias estao assim mesmo alguem tem qe fazer alguma coisa neste pelotao da ccoophasul aq os policias se axam no direito de bater..machucar..depois de tudo feito dai eles dizem pro miliante qe assim qe eles xama vamus para delegacia eu sei porqe em qestao de minutos no dia 31 pela manha vi dois rapazes serem prezos e logo em seguida qando passei em frente vi o rapaz gritando e dai vi qando tiraram ele de novo ja estava sangrando como pode eu axo qe prende e serto mas bate nao porqe nao tem este direito e agora qem vai devolve a visao deste rapaz agora e ora do estado pedi a cornia deste policial pra restaura o do menino
 
andreia gloria honorato rodrigues em 13/01/2014 16:13:57
Para os que usam termos, como "a mãezinha sempre vai falar q o filho eh inocente", ou que "eh formação de quadrilha" ou que "eh santo depois q vai preso", deveriam se inteirar do assunto pois quem não estava em comemoração no dia do Reveillon???? então a polícia acha q depois de um crime na região os marginais vão se aglomerar no meio da rua... a pelo amor de DEUS!!!!
Se fosse seu irmão ou seu parente vcs falariam dessa forma???
O fato eh q a polícia não deveria abordar dessa maneira.
 
Wesley Alves Machado Junior em 13/01/2014 09:20:44
Segundo informações, esse menino que levou um tiro no olho não tem passagem pela polícia. O meu irmão conhece a família dele, e o seu irmão é membro da nossa igreja, o qual disse que ele é um rapaz tranquilo, nunca teve problemas com a polícia, sendo trabalhador e caseiro. A família está muito arrasada e triste com essa tragédia. Nós que somos pais não podemos deixar de pensar "se fosse o nosso filho que estivesse no lugar dele? Como reagiríamos?
ASS: Sgt PM Andreia
 
Andreia Cristina Araujo de Lima Moura em 12/01/2014 15:32:59
Segundo informações, esse menino que levou o tiro no olho não tem passagem pela polícia, ele é irmão do amigo do meu irmão, que inclusive é membro da minha igreja. É um menino tranquilo, trabalhador, que nunca teve problemas com a polícia. É um menino de família.
 
Andreia Cristina - Sgt PM em 12/01/2014 15:22:39
Será que aconteceria o mesmo em algum bairro nobre da cidade? Se tira como exemplo o filhinho de papai que espancou a estudante da ucdb...até hoje nem pisou na porta da cadeia e ninguém faz nada. nesse país polícia é para os pobres...ai sim são considerados bandidos. mas nada melhor como a justiça divina.
 
maria almeida em 12/01/2014 08:38:23
Tendo ou não passagem pela policia, não justifica um tiro de borracha no olho, essa situação deve ser melhor apurada em vez de maquiada com palavras corporativista, os PMs que estava trabalhando pode ou não ter errado em sua abordagem, pois é fato que o treinamento só é efetivo na academia e a reciclagem é precária, entretanto pessoas em uma festa normalmente ingerem certa quantidade de bebidas com teor elevado de álcool, e pode com facilidade exaltar-se, por isso as duas versões tem parte de verdade e partes que devem ser melhor esclarecidas. O nosso governo deveria equipar e preparar melhor a corporação da PM, não adianta comprar veículos e armas sofisticadas se não valorizarmos a pessoa humana com salario digno e condições de trabalho, umas vez que estarão sempre atuando em adversidades
 
Danielly S D Araujo em 12/01/2014 01:14:22
São todos santos depois que vão presos! E o pior é que a justiça acredita e o policial paga do próprio bolso os advogados para se defender. Não compensa ser policial de radio patrulha hoje em dia!
 
Adriano Maciel em 11/01/2014 19:57:09
Com certeza de graça não foi, a toa não fizeram isto. Para mãe o filho sempre será inocente, mesmo que seja o Marcola do PCC
 
Paulo Pereira em 11/01/2014 19:20:02
Se tem passagem na polícia, porque a "mãezinha" quer dizer que seu filhinho é santo? Isso é formação de quadrilha já que a mesma defende um criminoso! Ela de deveria é agradecer de não o terem matado por ser um bandido e cobrar do filho o porque de estar no meio da algazarra sendo que já fez o que não devia no passado. O povo brasileiro é assim vota, defende, beneficia e agradece o bandido mesmo sofrendo por ele!
 
Alexandre de Souza em 11/01/2014 18:30:20
E quem tem passagem pela policia não ser humano??? E ainda vão aparecer apoiando esse tipo de ação. Não é para isso que a policia é paga!!! Abuso de poder tem que ser recompensado com uma bela EXONERAÇÃO !!!!!
 
HIGOR ROCHA em 11/01/2014 17:29:41
Impressionante a quantidade de gente que apoia todo tipo de marginal por aí, direitos humanos, Pastoral Carcerária e outras instituições que trabalham pra desmoralizar o Estado, o qual é responsável por manter a ordem e a disciplina para vivermos numa sociedade um pouco menos caótica e violenta.
Não duvido que daqui mais alguns anos e haverá uma inversão total de valores, onde o bandido terá toda liberdade para continuar aterrorizando a sociedade de bem e o trabalhador de bem estará de mãos atadas para lutar por sua vida!
 
kadu nogueira em 11/01/2014 13:56:22
Nossa sempre tem uma explicação para os abusos praticas. Isso se deve ao incentivo que algumas pessoas dão aos policiais que cometem exageros, hoje com que come ou cometeu crimes, amanhã com qualquer cidadão.
Existe um ditado que diz " o comandado e o reflexo do seu comandante" traduzindo, quando se comete abusos e os mesmos são justificados, com certeza serão repetidos.
Que Deus nos proteja
 
Maria Madalena Alves em 11/01/2014 11:13:43
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions