ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SÁBADO  26    CAMPO GRANDE 29º

Capital

Filhote de jacaré abandonado em pet shop foi ‘adotado’ por universidade

Animal está sendo monitorado e após três anos poderá ser devolvido à natureza

Por Ana Paula Chuva | 14/08/2020 16:43
Jacaré foi avaliado clinicamente e está bem. (Foto: Biotério/ UCDB)
Jacaré foi avaliado clinicamente e está bem. (Foto: Biotério/ UCDB)

O filhote de jacaré da espécie caiman latirostris - o  jacaré do papo amarelo - abandonado em um pet shop no bairro Guanandi, em Campo Grande, foi adotado pela UCDB (Universidade Católica Dom Bosco). O animal está sendo monitorado e poderá ser devolvido à natureza em três anos.

Conforme a Semagro (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), o jacaré estava em bom estado de saúde e a universidade conta com uma estrutura adequada para receber o animal.

O filhote foi levado para o Biotério da UCDB onde será usado para estudos, conforme explicou a responsável pelo local médica veterinária e bióloga professora Paula Helena Santa Rita.

“Ele chegou e foi avaliado clinicamente. Está ótimo e é bem estressado (risos). Ele recebeu uma marcação do Biotério e esse número é o registro dele no Sisfauna que é o Sistema Nacional de Gestão da Fauna Silvestre. Agora ele está de quarentena sendo monitorado sanitariamente”, detalhou.

Segundo a coordenadora do Biotério o animal é um jacaré de papo amarelo e está recebendo todos os cuidados da faixa etária. “Ele é um filhote e está sendo alimentado diariamente, recebendo toda a exigência nutricional para a faixa etária. Ele fica conosco pelos próximos dois ou três anos e depois,  junto com o Imasul, decidiremos se ele será reintroduzido na natureza”, explicou.

 ‘Animal com fome’ - O filhote de jacaré foi deixado no pet shop no dia 3 de agosto por um garoto com idade entre 10 a 12 anos. Na ocasião o dono do local se assustou quando o menino deixou o animal e saiu correndo.

“Ele disse que precisava saber o que poderia dar de alimento para o animal dele, que não estava comendo. Mas ele não queria me dizer qual animal era e eu falei que não poderia dar uma ideia sem saber. Eu tomei um susto quando vi qual era o bicho”, disse ao Campo Grande News Carlos Eduardo Ribeiro, 43 anos dono da Nutri Cacau Pet Shop.

O empresário acionou a PMA (Polícia Militar Ambiental) que recolheu o animal e o levou para o Cras.

Regras de comentário