ACOMPANHE-NOS    
JULHO, TERÇA  27    CAMPO GRANDE 22º

Capital

Fiscalização de novo decreto começa já com 3 denúncias de festas clandestinas

Quatro equipes de 30 pessoas vão verificar se o comércio cumpriu determinações e fechou às 16 horas

Por Ângela Kempfer e Bruna Marques | 14/03/2021 16:06
Fiscais se concentraram no estacionamento do Paço Municipal para iniciarem operação. (Foto Pualo Francis)
Fiscais se concentraram no estacionamento do Paço Municipal para iniciarem operação. (Foto Pualo Francis)

Quatro equipes formadas por fiscais da Agetran, Vigilância Sanitária, Semadur e Guarda Metropolitana saíram às 16 horas em fiscalização das novas medidas restritivas em Campo Grande. O grupo tem 30 pessoas e já começa o trabalho com 3 denúncias de festas clandestinas em diferentes regiões da cidade.

A fiscalização será em revezamento. As primeiras equipes vão até às 20h no serviço e depois assume outra turma com 30 pessoas.

Chefe de alimentos da Vigilância Sanitária, Guilherme Cardoso avisa que se forem encontradas irregularidades, os empresários serão autuados. Uma dúvida era sobre conveniências. Ele explica que os locais que vendem apenas bebidas devem fechar às 16h. "Mas se funcionarem como mercadinhos, podem continuar até às 20h", diz.

Sobre aglomerações, os parque podem continuar abertos até 20h, mas a fiscalização deve orientar em caso de pontos com muita gente reunida. O foco nesse quesito está em festas clandestinas. "Caso for muito irregular, com muitas pessoas em festas clandestina, podemos interditar o local".

Viaturas saem para fiscalização nos bairros de Campo Grande. (Foto: Paulo Francis)
Viaturas saem para fiscalização nos bairros de Campo Grande. (Foto: Paulo Francis)

Regras - Neste domingo (14) entram em vigor as novas restrições determinadas pelo governo de Mato Grosso do Sul. Contra a covid-19, o decreto estadual define normas de funcionamento para estabelecimentos.

Com regime específico para os finais de semana, neste domingo é necessário estar atento para três horários diferentes. Das 5h até às 16h, as atividades e serviços que não são classificados como essenciais podem funcionar. Assim, comércio de modo geral, restaurantes, bares, shoppings e qualquer outra atividade não listada como essencial devem fechar mais cedo.

Já entre 16h e 20h, apenas os 63 setores considerados essenciais podem manter as portas abertas (confira a lista completa no final da reportagem). Entre eles estão igrejas, transporte coletivo, jornais, oficinas mecânicas e parques públicos. Porém, o principal espaço verde da cidade também resolveu fechar antes. O Parque da Nações Indígenas fecha os portões às 16h.

Quando o novo toque de recolher tem início, às 20h, os setores permitidos se restringem. Só podem continuar abertos ao público mercados e similares, exceto conveniências, mas é permitida apenas a entrada de uma pessoa por família.

Dentro do toque de recolher também funcionam serviços de saúde, transporte, farmácias/drogarias, alimentação por delivery e postos de gasolina.

Guarda Metropolitana conversa sobre como será o trabalho. (Foto: Paulo Francis)
Guarda Metropolitana conversa sobre como será o trabalho. (Foto: Paulo Francis)


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário