A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

08/10/2015 10:23

Greve na coleta volta a transformar ruas centrais em lixão a céu aberto

Filipe Prado
O lixo voltou a acumular no Centro (Foto: Marcos Ermínio)O lixo voltou a acumular no Centro (Foto: Marcos Ermínio)

Em menos de 12 horas de nova greve da Solurb, o lixo voltou a acumular no Centro de Campo Grande e moradores já estão preocupados com “lixão a céu aberto”. No mês passado o serviço de coleta ficou suspenso entre os dias 9 e 18 de setembro, por falta de pagamento, o que acarretou em transtornos para a população.

A reivindicação é a mesma da última greve. Desde vez não foram depositados R$ 1,5 milhão da folha de pagamento e R$ 402 mil do tíquete-alimentação. Juvenal Guimarães, 78 anos, lembrou que no mês passado passou por apuros, por conta do acúmulo de lixo, e espera que não se repita.

“Eles precisam fazer uma negociação”, comentou o Juvenal. Ele acredita que a quantidade de lixo espalhada pela Capital prejudica a saúde dos moradores e atrai insetos.

Moradora de Terenos, Maria Luiza Olmedo, 64, ficou espantada com a situação de Campo Grande. Ela assegurou que a coleta no município onde reside, distante 25 quilômetros da Capital, nunca teve a coleta de lixo interrompida. “Aqui precisa mudar, melhorar!”, sugeriu.

O Steac (Sindicato dos Trabalhadores em Asseio e Conservação) entrou com ação na 4ª Vara da Justiça do Trabalho e cobra também R$ 2,8 milhões dos outros benefícios, como vale-gás, premiação para os motoristas e cesta básica. A greve não tem prazo determinado para acabar, voltando ao trabalho mediante ao pagamento.

Everson tem esperança de que não volte a acontecer como na última greve (Foto: Marcos Ermínio)Everson tem esperança de que não volte a acontecer como na última greve (Foto: Marcos Ermínio)

O autônomo Everson Pereira, 28, trabalha no Centro da cidade e observa os transtornos ocorridos na cidade. Ele reconheceu que a Capital está uma bagunça e afirmou que a população é a que mais sofre com a situação. “Nós pagamos os impostos e vemos a cidade virar um lixão”.

Na Avenida Afonso Pena, após a Rua 14 de julho, o lixo tem impedido a saída dos passageiros do transporte coletivo. O ponto de integração fica ao lado de um montante de sacos, fazendo com que os motoristas parem antes do terminal ou com que as pessoas tenham que caminhar entre o lixo. “Nesse ponto, não dava nem para passar, na última greve. Espero que não aconteça de novo”, comentou o autônomo.

Impasse - A empresa alega que não recebe da prefeitura e a dívida dos meses de junho, julho e agosto totaliza R$ 22.155.426,12. O poder público informou, por meio de nota, que vai pedir à Justiça autorização para depositar R$1.568.800,00 e pagar os trabalhadores. A administração municipal recorreu a esse procedimento no mês passado.

Na Justiça - O consórcio recorreu ao TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) para suspender o serviço. Os agravos de instrumentos são contra as liminares que determinaram a volta da coleta dos resíduos domésticos, sob pena de multa diária de R$ 100 mil, e do lixo hospitalar, com previsão de multa de R$ 30 mil por hora de atraso.

Neste mês, a Justiça concedeu liminar em favor da Solurb, bloqueando parcelas do FPM (Fundo de Participação do Município) da prefeitura até o valor de R$ 19 milhões. A PGM (Procuradoria-Geral do Município) vai recorrer da decisão. O município alega que as notas fiscais apresentadas são auditadas por suspeita de fraude nos pagamentos anteriores e a crise financeira do Poder Executivo.

Bernal vai depositar em juízo recurso para pagar funcionários da Solurb
Diante da decisão dos trabalhadores da CG Solurb, tomada nesta quarta-feira, de entrar em greve novamente por causa do atraso de salário ( desta vez ...
Sem receber os salários, trabalhadores voltam a suspender coleta de lixo
Reunidos agora pouco em assembleia no pátio da empresa, os trabalhadores da CG Solurb, decidiram entrar em greve novamente, porque até agora não rece...


Vou levar la nas lixeiras perto da prefeitura,la eu sei que dão um jeito de tirar. Logo que ganhou a eleição era a mesma coisa, sujeira, mato crescendo ruas sujas esburacadas, sem pintura do meio fio. Ele tem bronca da solurb, ate aí blz, qualquer um teria. Mas entra na justiça, faz outra licitaçao da um jeito.
 
Joao em 08/10/2015 15:35:17
Faço uma sugestão aos administradores de nossa cidade.

Todos sabemos da crise financeira em que a prefeitura se encontra. Colocar a culpa em alguém é fácil mas sugerir ideias...
A minha sugestão é a seguinte a prefeitura delimita em cada bairro dois ou três pontos de coleta do lixo domestico, a população leva o lixo até estes locais e a prefeitura passa recolhendo nestes pontos.
Para que isto ocorra, alem da população participar, a prefeitura disponibiliza um caminhão e dois ou três funcionários.
Esta sugestão é apenas um paliativo enquanto não se resolva este impasse.
 
Flavio em 08/10/2015 14:41:33
Eu entendo que a empresa não pode funcionar sem receber e sei que a prefeitura é triste de pagar os outros, na hora de solicitar o serviço eles são muito bons mas pra pagar é muito dificil, acho que o correto seria centralizarmos os sacos de lixo na porta da prefeitura até que ela resolva pagar o que deve, a população ficar gastando dinheiro e perdendo tempo pra ir no lixão é palhaçada, acho que todo mundo paga imposto e tem direito ao serviço de coleta de lixo, vamos centralizar o lixo na frente da prefeitura, hoje eu vou levar o meu.
 
Max em 08/10/2015 12:36:29
Sugestão para resolver esse problema definitivamente, vamos todos juntarmos nossos lixos e despejarmos no pátio da SOLURB e da PMCG, rapidinho eles chegam num acordo, pois esta situação era previsível e ninguém tomou providencias.
 
juvenul em 08/10/2015 11:22:19
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions