A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

02/04/2011 13:00

Grupo de vizinhos faz a "segurança" de vítimas de roubo no Nova Lima

Ricardo Campos Jr. e Paula Maciulevicius

'Guarda costas' pedem até a identificação de quem entra na casa

Proprietário do supermercado terminou machucado após assalto ao comércio (Foto: João Garrigó)Proprietário do supermercado terminou machucado após assalto ao comércio (Foto: João Garrigó)

O roubo que terminou com a morte do assaltante André Luiz do Espírito Santo, 17 anos, no mercado Grando na avenida Marquês de Herval, bairro nova Lima, comoveu e chamou a atenção da comunidade local e um grupo de 4 rapazes, moradores da região, resolveu cuidar da segurança das vítimas.

Pela manhã, o Campo Grande News foi ao local onde ocorreu o crime. Na frente do estabelecimento, os “guarda-costas” pediram a identificação e ligaram para o celular de Sara Cristina Weber da Silva, 27 anos, vítima da violência, e solicitaram permissão para deixar a equipe entrar na residência para conversar com ela.

O mesmo rapaz que fez o contato permaneceu o tempo todo ao lado da vítima durante a entrevista enquanto os colegas continuavam do lado de fora. O rapaz negou que faz parte de gangue ou grupo no bairro e não quis informar o nome. “Não vou dar (o nome) não porque eu tenho uns BOs aí”, disse.

Foi criado praticamente um sistema de identificação das pessoas que chegam até a residência. Todas as vezes que alguém batia no portão, o “segurança” que estava dentro da casa ligava para outro que estava do lado de fora e pedia a descrição da visita, tudo porque a família ficou traumatizada com a violência sofrida.

Trauma - Sara e o marido Orlando Grando, 47 anos, lutaram contra os bandidos e têm as marcas da briga. Lucas Weber da Silva, 17 anos, irmão de Sara foi baleado e liberado pela manhã do hospital.

A mulher conta que reagiu apenas diante do medo de ter as filhas feridas pelos bandidos, que segundo ela ameaçaram levar “as duas coisas boas que vocês têm”, relatou.

“Preferia que acontecesse alguma coisa comigo que com as minhas filhas”, disse a mãe que não pensou duas vezes quando pulou em cima de André enquanto o marido investiu contra o comparsa que estava desarmado.

Orlando diz que a resistência foi inevitável. “Vem a vontade de reagir e você não suporta. É uma humilhação muito grande”, disse o comerciante.

O casal tem duas filhas, uma de 3 e outra de 6 anos. A maior permaneceu dormindo durante toda a ação, que segundo as vítimas durou cerca de 45 minutos. A outra ficou escondida no banheiro a pedido da mãe, que disse “Fica escondida até o homem mau ir embora”.

Orlando se emociona ao relatar assalto ao supemercado (Foto: João Garrigó)Orlando se emociona ao relatar assalto ao supemercado (Foto: João Garrigó)

Crime - Orlando calcula que os bandidos tenham entrado no momento em que ele abriu o portão para guardar a caminhonete S-10 na casa, que fica ao lado do mercado. Sara estava dentro do estabelecimento, já fechado, usando o computador para navegar na internet.

Os bandidos estavam escondidos dentro de um dos banheiros. Orlando disse que sentou-se na varanda para tomar cerveja e em determinado momento entrou em casa para ver como estavam as filhas. Quando voltou já se deparou com o cunhado rendido e com a arma de André apontada para ele.

Os dois foram amarrados com cadarços, de acordo com relatos das vítimas. Os bandidos pegaram R$ 1200 em dinheiro e foram até a loja buscar Sara que pediu para não ser amarrada, dizendo aos bandidos que, caso as filhas começassem a chorar, tinha de acalmá-las.

Entretanto, segundo ela, já pensava em uma forma de surpreender o bandido. “Eu estava fria e calculista”, relata a vítima.

Orlando e o cunhado conseguiram soltar-se, mas permaneceram da mesma forma em que foram deixados para não chamar atenção dos bandidos. Somente quando a mulher investiu contra André foi que eles decidiram ajudar a mulher.

O adolescente foi em socorro da irmã, que brigava com o bandido armado. Os três acabaram, no meio da confusão, indo parar dentro do mercado pelo acesso que dá na residência. O adolescente foi baleado e Sara disse não se lembrar do momento em que a arma disparou matando o assaltante com um tiro na cabeça.

Enquanto isso, Orlando tentava imobilizar o comparsa, que estava em cima da vítima. Com uma das mãos ele tentava sufocar o bandido enquanto com a outra tentava se desvencilhar dos golpes.

Sara saiu correndo pela rua pedindo socorro e um grupo de moradores ajudou a conter o garoto, alguns chegaram a pegar pedaços de pau para entrar na casa, mas ela diz que o garoto não foi agredido.

A família diz que o mercado deve permanecer fechado por alguns dias. Eles ficarão uma temporada na casa de parentes por causa do medo vivenciado dentro da própria residência.



Enquanto a Sejusp fala de policiamento comunitário o povo é constrangido pelos bandidos que estão a agir como se passeasse pelos nossos parques e calçadas.
Quero lembrar que policiamento comunitário é apenas uma filosófia de policiamento e funciona quando o policial recebe todo o apoio. Aliás, será se o bandido sabe as regras do policiamento comunitário e as cumpre?
O governador André adquiriu os meios materiais e humanos que nenhum dos que o antecederam, desde da divisão do estado fizeram. Sabe o que falta motivação para os integrantes da Segurança Pública e, isso é competência de quem dirige as instituíções que congregam o aparelho de defesa pública.
 
ivan de almeida em 03/04/2011 08:03:44
Não é essa a primeira e a ultima vez que crimes violento acontece naquela região, sem que a Sec de Segurança tome uma atitude. A policia só chega após o acontecido,tarde demais.Em legima defesa da vida e de seu patrimônio o trabalhador matou o Fora da Lei.Faz bem a comunidade ao reagir,com segurança,contra os bandidos."Seu",Orlando fique frio e mantenha a calma,o importante é que Deus já o perdoou e o sr. só fez limpar o bairro desse verme.Estamos do seu lado e continue trabalhando honestamente.
 
Jorge Neves-MS em 02/04/2011 09:00:12
DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS
Adotada e proclamada pela resolução 217 A (III)
da Assembléia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948.
Art.lll
Toda pessoa tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal.
Art.Xll
Ninguém será sujeito a interferências na sua vida privada, na sua família, no seu lar ou na sua correspondência, nem a ataques à sua honra e reputação. Toda pessoa tem direito à proteção da lei contra tais interferências ou ataques.
Art.XVll
2.Ninguém será arbitrariamente privado de sua propriedade.
Cadê a nossa segurança?
E.C.A
LEI N º 8.069, DE 13 DE JULHO DE 1990

Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências.


Art. 104 - São penalmente inimputáveis os menores de dezoito anos, sujeitos às medidas previstas nesta Lei.
É por causa desta lei retrogada, que esses adolescentes prevalecem. Já podem escolher os seus representantes políticos, porque não responder pelos crimes cometidos, igual ao adulto.






 
PEDRO LUIZ DE AZEVEDO em 02/04/2011 08:18:46
Parabéns ao casal que reagiu! Ao contrário do que prega a polícia, se todos agirem dessa forma, vagabundo vai pensar duas vezes antes de se meter com gente honesta. E é menos um bandido na face pra atormentar famílias trabalhadoras! Pena que a lei nos dificulte tanto a posse e o porte legal de armas de fogo. Aí sim bandido pensaria e muito antes de invadir o lar de alguém!
 
Rodrigo Medeiros em 02/04/2011 06:20:11
Por que a família, vítima do assalto, não tem a segurança mantida pelas forças do Estado?
Porque são humildes e não juízes.
Vai daí... Revoltante.
 
Carlos Silva Oliveira em 02/04/2011 05:41:09
Cadê, a nossa segurança? Pois a criminalidade está cada vez mais alarmante envolvendo adolescentes.
Cadê, os nossos polliticos eleitos no senado e camara federal de Brasilia-DF, esta na hora de mudar essa lei retrogada de 1940.
Depois criaram o E.C.A (estatuto da criança e do adolescente), que é meramente para proteger o adolescente infrator, eles não tem ai, sabe-se que a lei os protege e dá garantia a eles, vão para as UNEI, socio-educativa, e saem de lá mais bandidos, aprendem mais crimes, além de comer e beber de graça com o nosso dinheiro que é pago os impostos.
Vamos vê se os Direitos Humanos, foi visitar as vítimas que estão amendrotadas com o crime. Pois foi cefado a vida de um criminosos infrator, pois ele estava trabalhando, para sustentar os seu vícios. Já basta, chega de ficarmos com o braços cruzados.
 
sergio da silva santos em 02/04/2011 05:40:15
parabens para essa mãe que reagiu como uma leoa que defende suas crias, com certeza Deus estava com ela nesse momento tão desesperador.
é um absurdo que a maioria desses assaltos e estupros que vem acontecendo são praticado por menores. estou torcendo para mudança dessa lei de 18 para 15 anos.
pois com 15 anos sabem muito bem o que estão fazendo
 
Maria Madalena em 02/04/2011 05:31:14
Cadê o pessoal dos direito humanos para ajudar a proteger estes cidadãos pagadores de impostos??????
Cadê a polícia que deveria estar fazendo ronda no local??????
 
Paul Martins em 02/04/2011 04:43:13
bandidinho comedia, pau neles gurizada
 
mauro celio em 02/04/2011 04:36:07
infelizmente,é só assim para que o tal dimenor,pare de cometer crimes pois o tal de eca,foi feito tão somente para beneficiar alguns insetos que que não teem escrupulos.nunca deve-se reagir a um assalto,mas o ser humano é surpreendente,o homem no geral,pode ser o mais pacato da terra,mas,mexeu com a familia dele,aí transforma-se em fera e o autor dos fatos,que arque com as consequencias.
 
francisco da silva em 02/04/2011 03:05:39
É uma pena que só um bandido tenha morrido, pois o outro sendo menor, logo estará nas ruas tirando a paz das famílias trabalhadoras. Essa família merece ganhar uma medalha como benfeitores da comunidade.



















 
Hilda França em 02/04/2011 02:33:50
Se todos tivesse a chance de fazer isso,acabaria com todos os vagabundos e os bandidos que tiram a PAZ dos que trabalham honestamente...
 
Marcírio Soares Lopes em 02/04/2011 02:05:47
Pois é, quando o Estado deixa de fazer a segurança da população, então temos que procurar alternativas eficientes. Agora se há "seguranças" fazendo a guarda da família, é porque existe algo mais grave, do tipo,... ameaças de morte da família por parte do restante dos bandidos, ou dos familiares ou amigos dos bandidos. Como já ouviram aquela frase: "Se você não cuida do seu filho, o traficante o adota"!... aquí parece que seria quase a mesma coisa, só que com adaptações. Se a segurança pública não cuida da população, pois parece que só existe o centro da cidade, então "seguranças" despreparados fazem a festa. Isto é culpa do Estado. Será???
 
Marcelo Max em 02/04/2011 01:59:11
VAGABUNDO TEM QUE MORRER MESMO.
 
ELSON em 02/04/2011 01:14:23
Há 20 anos que moro na região norte da cidade e o corredor da Nova Lima sempre foi "terra de ninguém".
Lamentável é a situação de insegurança que ronda a região toda que está abandonada pelo poder público.
 
Antônio Marcos Alencar em 02/04/2011 01:12:23
Parabéns. Independente da idade, bandido bom, é bandido morto
 
Kamél-kadri em 02/04/2011 01:11:20
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions