ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SÁBADO  18    CAMPO GRANDE 31º

Capital

Homem é detido após agredir a mulher e ele mesmo chamar a polícia

Estudante de Medicina pegou uma faca para se defender, o que fez o fotógrafo pedir socorro

Por Nyelder Rodrigues e Bruna Marques | 26/07/2021 10:45
Rapaz sendo encaminhado pela Polícia Militar após confusão com a namorada (Foto: Kisie Ainoã)
Rapaz sendo encaminhado pela Polícia Militar após confusão com a namorada (Foto: Kisie Ainoã)

Um fotógrafo da Bolívia foi conduzido nessa manhã de segunda-feira (26) pela PM (Polícia Militar) para a Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) de Campo Grande após ele agredir com chutes a mulher durante o banho e ela, para se defender, pegar uma faca. Quem acionou a polícia foi o próprio agressor.

O casal é brasileiro, mas mora no país vizinho há vários anos, estando na capital sul-mato-grossense há duas semanas para comprar um carro novo, segundo explica a vítima das agressões, estudante de Medicina de 23 anos - o agressor tem 26.

"Nos conhecemos há oito meses e estamos em uma casa alugada no bairro Tiradentes. A briga começou por causa de uma besteira, um adaptador de tomada que eu estava usando para carregar meu celular e ele queria ligar a sanduicheira", revela a vítima.

A estudante conta que eles começaram a discutir e em dado momento seu namorado começou a gritar com ela e a pegar ela com força pelo braço. "Ele disse para eu me por no meu lugar. Eu fui tomar banho, mas seguimos discutindo, então ele foi ao banheiro e cuspiu em mim. Estava molhada e cai. Ele então me chutou", explica.

Para se defender, a jovem afirma que pegou uma faca, momento então que o fotógrafo saiu no corredor da casa alugada, em terreno dividido com outros moradores, pedindo por socorro, dizendo que ela estava louca e acionou a polícia.

A PM foi até o local e acabou levando os dois para a Deam. No caso, a jovem permaneceu na recepção aguardando atendimento, enquanto o fotógrafo seguiu com os policiais para outro setor da delegacia, localizada na Casa da Mulher Brasileira.

"Desde que chegamos aqui ele me sai e me deixa trancada. Eu tenho medo de viajar sozinha, e ele ficava ameaçando que ia me colocar no ônibus e enviar para casa, sozinha. Não conheço nada no Brasil, estou há muito tempo sem vir para cá", completa.

Agora, ambos aguardam atendimento e o caso deve ser registrado como violência doméstica na Deam. A estudante afirma que vai pedir medida protetiva para evitar que o fotógrafo se aproxime dela e que deve ser buscada no Brasil pelo pai.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário