ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUINTA  23    CAMPO GRANDE 22º

Capital

Hospital da Cassems inova com refeições livres de agrotóxicos

Por Adriano Fernandes | 06/01/2017 15:59
A produção vem de assentamento no distrito de Terenos. (Foto: Assessoria de Imprensa)
A produção vem de assentamento no distrito de Terenos. (Foto: Assessoria de Imprensa)

Com a proposta de se tornar referência desde o projeto arquitetônico até o atendimento, o Hospital Cassems de Campo Grande pretende inovar até mesmo na alimentação de funcionários e pacientes.

As refeições servidas no centro médico são preparadas com alimentos orgânicos produzidos pela Cooplaf (Cooperativa Agrícola Mista da Pecuária Leiteira e de Corte e da Agricultura Familiar). A parceria é inedita entre os hospitais da Capital.

A cooperativa foi fundada a dois anos e esta localizada no assentamento Campo Verde, distrito de Terenos, município vizinho a 25 quilômetros de Campo Grande. A Cooplaf conta com a produção de 525 propriedades em uma região com cerca de 6 mil trabalhadores que tirão o sustento da agricultura familiar.

A parceria vai ajudar a escoar toda a produção da cooperativa, conforme explica a secretária da Cooplaf, Lucilha Almeida. “Além de favorecer o escoamento de toda a produção a parceria também vai valorizar a economia local e o produtor, por isso a parceria com o Hospital Cassems foi de suma importância para a gente”, afirma Lucilha.

O fornecimento de verduras como colve, alface dentre outros legumes 100% livres de agrotóxicos favorece garante alimentação saudável para beneficiários em especial os paciente, como explica a nutricionista do Hospital Cassems, Beatriz Camargo.

“Por não terem agrotóxicos esses alimentos são mais saudáveis e melhores em relação a nutrientes e macro nutrientes. Isso é melhor para os nossos colaboradores e para os nossos beneficiários”, explica a nutricionista.

O presidente da Cassems Ricardo Ayache ressalta ainda que a parceria também atua para impulsar a economia no Estado. “Mato Grosso do Sul tem um grande potencial para desenvolver nesse setor, a exemplo do que acontece nos países mais desenvolvidos, onde a agricultura familiar gera emprego, gera receita para um grande número de famílias”, comenta.

Riqueza orgânica - Em Mato Grosso do Sul, 63% dos produtos rurais são da agricultura familiar, mas apenas 4% das terras são de propriedade dos produtores. Existem, aproximadamente, 70 mil agricultores familiares no Estado, entre assentados e não assentados, índios e quilombolas, porém, 80% das hortaliças consumidas em Mato Grosso do Sul são compradas em outras regiões.

Os principais produtos da agricultura familiar são a mandioca, o milho e o leite.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário