A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

22/05/2012 13:00

Jovem de 23 anos mata tio a pauladas no bairro Nova Lima

Luciana Brazil

Familiares estão inconformados. Pedem que justiça seja feita e que crime não fique impune

No velório, familiares estão indigandos e dizem que justiça precisa ser feita. (Foto:Pedro Peralta)No velório, familiares estão indigandos e dizem que justiça precisa ser feita. (Foto:Pedro Peralta)

Depois que Gleison Mendonça dos Santos, 23 anos, matou a pauladas o tio de 34 anos, Everson Tabordo de Mendonça, familiares estão indignados e pedem justiça. O crime aconteceu na última sexta-feira (18), após uma discussão entre tio e e sobrinho.

A vítima morreu na Santa Casa, na manhã de segunda-feira (21), vítima de traumatismo craniano. Everson, que segundo a família era usuário de droga e alcoólatra, chegou em casa, na tarde de sexta-feira, no bairro Nova Lima, onde morava com a mãe de 79 anos e uma sobrinha. No mesmo terreno, em outra casa, estavam a mulher e a filha de Jeferson Mendonça, também sobrinho da vítima.

Segundo Vanessa Mendonça, 24 anos, sobrinha da vítima, Everson chegou em casa e provocou uma confusão, situação que era comum, segundo os parentes. “Ele incomodava, mas depois já saia de perto. Ele nunca tinha feito nada contra ninguém”, afirmou Vanessa. “O que foi feito é uma covardia. Foi uma monstruosidade o que o meu primo fez”.

Sobrinho mata o tio a pauladas no bairro Nova Lima. (Foto: Arquivo pessoal)Sobrinho mata o tio a pauladas no bairro Nova Lima. (Foto: Arquivo pessoal)

Na última discussão, na sexta-feira, por volta das 18 horas, a mulher de Jeferson, incomodada com o problema, mandou uma mensagem de celular para o telefone de Gleison, que estava com o esposo Jeferson em uma conveniência. “Ela (esposa de Jeferson) já tinha desavenças com meu tio (Everson). Ela não gostava dele. O Gleison e o Jeferson estavam bebendo em uma conveniência desde às 15 horas”.

Depois de receber a mensagem, Gleison foi até a casa da vítima para tomar satisfações. Ao chegar no local encontrou Everson a alguns metros da residência. “Gleison pegou um pedaço de pau e, meu tio estava de costas, ele deu uma paulada na cabeça do meu tio. Ele rodou e caiu no chão. E depois que meu tio estava no chão ele deu outra paulada e ainda deu vários chutes”, contou uma sobrinha que não quis se identificar e viu a cena do crime.

Depois de bater em Everson, Gleison disse que iria pegar a moto e passar por cima de Everson, conforme contou Vanessa. Outra familiar, que chegou para socorrer, tirou a vítima do local para evitar que ele fosse atropelado. Ao chegar na residência, Everson desmaiou e foi levado para Santa Casa.

A vítima está sendo velada na residência onde morava, já que a mãe, idosa, preferiu velar o filho em casa. "Ela está destruída. Tínhamos esperança que ele se recuperasse. É muito triste", disse Vanessa. No velório, a mãe, sem forças para falar, não conseguia mensurar o tamanho do sofrimento.

Segundo os parentes, Gleison já tinha passagem pela polícia por tentativa de homicídio, lesão corporal, desacato a autoridade e ameaça. Ele, as irmãs e a mãe não tinham boa convivência com Everson e com o restante da família, conforme contaram os familiares da vítima. A mãe do agressor teria dito que o jovem se entregaria ainda ontem, mas até o momento ele não o fez.

O Boletim de Ocorrência foi feito no sábado pela manhã, na Depac (Delegacia de Pronto-Atendimento Comunitário), do centro. A família de Everson afirmou que a PM (Policia Militar) esteve presente no local, no dia do incidente, mas como o B.O ainda não havia sido feito, nada puderam fazer.

O delegado Divino Mendonça, que atendeu a ocorrência, encaminhou o registro para o 2° DP (Delegacia de Polícia).

Guarda oferece palestra sobre prevenção e combate às drogas em Uneis
Jovens da Unei (Unidades Educacional de Internação) Dom Bosco e da Unidade de Internação Feminina Estrela do Amanhã, em Campo Grande, receberam pales...
Cadastramento biométrico é oferecido pela Carreta da Justiça em Anhanduí
Desde o início desta semana a Carreta da Justiça está realizando atendimentos da biometria no distrito de Anhanduí, no município de Campo Grande, gra...


Nessas situações tem que haver pena de morte nesse país, não dá mais pra viver passando a mão na cabeça desses dependentes químicos. Ainda querem legalizar o uso da maconha que é a porta de entrada para as demais drogas. Sou contra as manifestações em favor dessa legalização que inclusive, deveria ser proibido.
 
Adenice Lira em 23/05/2012 09:40:07
Famílias desestruturadas, planejamento familiar zero, alcoolismo e drogas avançando a passos largos na sociedade, essa situação é muito comum, sou policial e essas confusões e brigas familiares/ com vizinhos por cachaça e outros motivos banais é EXTREMAMENTE comum aqui em Cg, as vezes acaba em morte... nenhuma novidade... final de semana vai ter mais uns 3 casos desses..
 
Roberto Inzagaki em 22/05/2012 02:03:11
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions