ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, TERÇA  24    CAMPO GRANDE 32º

Capital

Jovem pega moto da tia para roubar loja de pneus e acaba preso

A polícia conseguiu identificar a placa do veículo usado no crime e assim chegou ao suspeito

Por Geisy Garnes | 19/10/2020 17:47
Dinheiro encontrado com jovem preso. (Foto: Divulgação/Batalhão de Choque)
Dinheiro encontrado com jovem preso. (Foto: Divulgação/Batalhão de Choque)


Um jovem de 18 anos foi preso nesta segunda-feira (19) após roubar uma loja especializada em pneus na Avenida Costa e Silva, no Bairro Universitário, em Campo Grande. Para cometer o crime, ele usou a motocicleta da tia e foi encontrado depois que testemunhas conseguiram anotar a placa do veículo.

Conforme o registro policial, o roubo aconteceu por volta das 12 horas. Os dois suspeitos chegaram ao local em uma Honda Bros 160 e armados com um revólver anunciaram o assalto. Logo em seguida, fugiram com dinheiro do caixa. No entanto, testemunhas conseguiram anotar a placa da moto e acionaram a Polícia Militar.

Ao checarem à placa, os policiais descobriram o nome da proprietária do veículo e resolveram ir até a casa dela. Assim que chegaram no endereço, viram a motocicleta estacionada em frente à residência.

Para os militares a mulher confirmou que era a proprietária do veículo. Contou que horas antes emprestou a Honda Bros para o sobrinho, João Paulo Vidal Flanguelli, trabalhar, mas que ele já estava em casa.

João então foi abordado e logo confessou a participação no roubo. Ele detalhou que escondeu sua parte do dinheiro dentro da máquina de lavar e a arma no armário do banheiro. Com isso, os militares apreenderam R$ 740 e um revólver calibre 38, com seis munições. Preso em flagrante, o jovem explicou que o comparsa conseguiu fugir com o resto do dinheiro roubado. O suspeito já foi identificado pelas investigações e está foragido.

Ainda conforme o boletim de ocorrência, depois da prisão os parentes que estavam no local entraram em contradição, um afirmando que o rapaz passou a manhã em casa e outro revelando que ele havia saído. O caso é investigado pela Derf (Delegacia Especializada de Repressão aos Roubos e Furtos) como roubo majorado pelo concurso de pessoas e ameaça é exercida com emprego de arma.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário