ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, DOMINGO  14    CAMPO GRANDE 20º

Capital

Juiz autoriza "Jamilzinho" a participar do velório do pai por videoconferência

Sepultamento de Jamil Name está marcado para esta quarta-feira no cemitério Santo Antônio

Por Marta Ferreira | 29/06/2021 14:50
Jamil Name Filho durante audiência por vídeconferência. (Foto: Reprodução de vídeo)
Jamil Name Filho durante audiência por vídeconferência. (Foto: Reprodução de vídeo)

Decisão do juiz federal Walter Nunes da Silva Junior desta quarta-feira determinou que Jamil Name Fiho, participe por meio de videoconferência dos funerais do pai, Jamil Name, que morreu esta semana, aos 82 anos, vítima de complicações da covid-19. A defesa solicitou autorização de saída temporária de “Jamilzinho” para o enterro, mas isso foi negado pelo magistrado.

O advogado Felix Jayme Nunes da Cunha informou ao Campo Grande News que um dos argumentos usados pelo magistrado foi justamente a pandemia de novo coronavírus. De acordo com ele, vai ser tentada ainda outra medida autorizativa, junto ao STJ (Superior Tribunal de Justiça), em Brasília.

O direito à despedida é citado na peça apresentada à Justiça como previsão constitucional, em respeito ao princípio da dignidade humana, listado no artigo 1º. da Constituição Federal.

Foram apresentados pedidos de locomoção do réu tanto na Justiça Estadual, onde tramitam os processos pelos quais "Jamilzinho" está preso preventivamente, quando na Justiça Federal, responsável pela custódia dele, uma vez que está custodiado em prisão mantida pelo governo federal.

O juiz 1ª Vara de Execução Penal de Campo Grande, Fernando Chemyn Cury, declinou da competência, que já havia sido alvo decisão anterior, mantendo a responsabilidade com a esfera federal.

Ao analisar, o magistrado corregedor do presídio de Mossoró rejeitou a autorização de saúde e determinou a adoção do mesmo sistema de tecnologia que tem sido utilizado para as audiências das ações penais.

Acusação - Jamil Name Filho, 43 anos, está em Mossoró desde outubro de 2019. O pai também estava lá e contraiu covid-19 no cárcere. Ambos foram acusados por chefiar organização criminosa dedicada a eliminar desafetos e, ainda, por comandar o jogo do bicho em Campo Grande, cometendo outros crimes para sustentar o esquema.

Jamil Name ficou internado em hospital da cidade nordestina, a família chegou a conseguir transferência para hospital em Brasília (DF), mas não houve condições clínicas para isso.

O corpo dele deve chegar amanhã a Campo Grande. O sepultamento está marcado para o período da tarde, no cemitério Santo Antônio, onde fica o jazigo da família.

Nos siga no Google Notícias