ACOMPANHE-NOS    
JULHO, DOMINGO  12    CAMPO GRANDE 30º

Capital

Ladrão arrastou vítima pelos cabelos durante assalto que durou 10 minutos

Dupla chegou na farmácia se passando por clientes e anunciou o assalto em seguida; caso ocorreu na noite de ontem (2)

Por Kerolyn Araújo e Bruna Marques | 03/06/2020 08:45
Bandidos arrancaram fios do sistema de monitoramento da farmácia. (Foto: Henrique Kawaminami)
Bandidos arrancaram fios do sistema de monitoramento da farmácia. (Foto: Henrique Kawaminami)


Assalto na noite deste terça-feira (2) em farmácia na Avenida Lúdio Martins Coelho, no Bairro Buriti, em Campo Grande, durou aproximadamente 10 minutos. As vítimas foram rendidas e agredidas pelos bandidos. Eles fugiram levando dinheiro, celulares, notebook e remédios, mas acabaram presos horas após o crime.

O dono da farmácia relatou à reportagem que a dupla entrou no estabelecimento se passando por cliente. Um dos bandidos chegou a pedir um medicamento.

Antes mesmo do atendente entregar o remédio, o comparsa sacou a arma e anunciou o assalto. O empresário e mais três funcionários foram rendidos e levados para o estoque da farmácia.

Assaltantes reviraram o escritório em busca de dinheiro. (Foto: Henrique Kawaminami)
Assaltantes reviraram o escritório em busca de dinheiro. (Foto: Henrique Kawaminami)


A esposa do empresário que estava na casa aos fundos da farmácia foi abordada por um dos bandidos. Ela foi arrastada pelos cabelos e levada ao estoque, onde permaneceu com as outras vítimas. ''O que ficou na porta nos cuidando era muito violento. O outro revirou tudo em busca de dinheiro", disse a mulher. O marido dela e o motoboy também foram agredidos.

Os bandidos reviraram o escritório, quebraram objetos na sala de vacinação e arrancaram os fios do circuito de monitoramento. Eles fugiram levando malote com dinheiro, celulares, notebook, caixas de medicamentos, além do equipamento que grava as imagens das câmeras de segurança.

A Polícia Militar foi acionada e os assaltantes presos na região horas após o crime. O caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Cepol.