ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, SEXTA  03    CAMPO GRANDE 27º

Capital

Limpeza das escolas e merenda estão garantidas, mas faltam uniformes

Rede deve receber 10 mil alunos a mais neste ano, 107 mil no total, estima Semed

Por Anahi Zurutuza e Marcus Moura | 25/01/2017 07:20
Equipe da Solurb trabalha na limpeza do entorno de escola no Nova Lima (Foto: Marcus Moura)
Equipe da Solurb trabalha na limpeza do entorno de escola no Nova Lima (Foto: Marcus Moura)
Merenda começou a chegar às escolas e creches nesta segunda-feira (Foto: PMCG/Divulgação)
Merenda começou a chegar às escolas e creches nesta segunda-feira (Foto: PMCG/Divulgação)
Modelo dos uniformes distribuídos em 2016 (Foto: PMCG/Divulgação)
Modelo dos uniformes distribuídos em 2016 (Foto: PMCG/Divulgação)

A 12 dias para o início das aulas na Reme (Rede Municipal de Ensino), a limpeza de ao menos metade da escolas e Ceinfs (Centros de Educação Infantil) já foi terminada, a sinalização de trânsito em frente às unidades está sendo reforçada e a merenda escolar chegando aos estoques. A falta dos uniformes e kits escolares até agora, além da dificuldade para tirar da fila de espera por vagas em creches cerca de 6 mil crianças são os problemas.

A Semed (Secretaria Municipal de Educação) espera matricular 107 mil alunos neste ano, 10 mil a mais que o ano passado. Mesmo assim, o período de matriculas deve ser encerrado com 6 mil meninos e meninas foram dos Ceinfs.

Hoje, há 12.261 crianças cadastradas na fila, sendo que nas 99 creches têm capacidade para 6.215 alunos. O tamanho do deficit só será calculados depois do fim do período de matrículas – a partir da quinta-feira, a secretaria receberá solicitações para novos alunos.

De acordo com a secretária municipal de Educação, Ilza Matheus, a expectativa é que a compra dos uniformes e kits escolares seja resolvida até o início das aulas, no dia 6 de fevereiro, mas não há como garantir que as roupas e o material estejam nas mãos dos alunos nos primeiros dias de aula.

A administração tenta pegar “carona” em licitações para a compra dos kits e uniformes da Prefeitura de São Paulo, mas espera autorização. Contudo, mesmo na hipótese de aderir à ata já em andamento, a entrega demoraria 30 dias.

“Está tudo indo tranquilo, toda a parte de logística está bem organizada, já resolvemos a questão do transporte escolar rural. Só estamos correndo atrás dos uniformes, mas acredito que vai dar certo”, afirmou a secretária.

Sobre o deficit de vagas, Ilza Matheus já havia comentado na segunda-feira (23) que só com a inauguração de novas creches, cujas obras estão paradas, amenizaria a situação. “Com a reorganização dos espaços já existentes, conseguimos para este ano mais 42 turmas na educação infantil. Foi o que foi possível fazer”, completou nesta terça-feira (24).

Escola do Vida Nova precisa de pintura e limpeza (Foto: Marcus Moura)
Escola do Vida Nova precisa de pintura e limpeza (Foto: Marcus Moura)
Terrenos do entorno também estão sujos (Foto: Marcus Moura)
Terrenos do entorno também estão sujos (Foto: Marcus Moura)

Limpeza – Segundo a secretária, ao menos 60 escolas e 60 creches já passaram por limpeza.

É o caso do Ceinf Jasmim Ibraim Bacha, localizado na rua Jerônimo de Albuquerque, no bairro Nova Lima – norte de Campo Grande. O local foi limpo na segunda-feira, segundo o comerciante Claudio Marques, 36, que tem loja em frente à unidade da Reme. “Dá até gosto de ver”, afirmou.

A realidade é diferente na Escola Municipal Nerone Maiolino, que fica na rua Macaú, no Vida Nova 3. O mato invadiu o parquinho das crianças e não bastasse a unidade ser cercada de terrenos baldios, o entorno também está bem sujo.

Sem saber que a prefeitura passaria para fazer a limpeza Caio Renato, 30 anos, servente de pedreiro que mora na região há 15 anos, já estava programando um novo mutirão com outros vizinhos. “Só vi uma vez a equipe da prefeitura fazendo limpeza aqui. Já reclamamos sobre os terrenos, mas não adianta, nunca muda. A gente se reúne para limpar no entorno da escola”.

Merenda – As escolas começaram a receber ontem os produtos que irão compor o cardápio da merenda escolar para o ano letivo de 2017. A cada dia, cerca de 20 unidades da Reme receberão as entregas.

Pessoal – Além dos 73 novos professores aprovados em concurso que foram chamados, a Semed prepara processo seletivo para contratar educadores, recreadores e merendeiras em caráter temporário. Eles substituirão os funcionários terceirizados da Omep (Organização Mundial para a Educação Pré-escolar) e da Seleta Sociedade Caritativa e Humanitária, mas a seleção não necessariamente será feita antes do início do ano letivo, segundo a secretária.