ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, DOMINGO  05    CAMPO GRANDE 20º

Capital

Marquinhos libera 2 cultos por dia e obriga higienização de lotéricas a cada 2h

Prefeito impôs regras severas de higiene e prometeu fiscalização rigorosa

Por Silvia Frias e Angela Kempfer | 26/03/2020 17:31
Lotéricas deverão passar por higienização a cada duas horas (Foto/Arquivo: Henrique Kawaminami)
Lotéricas deverão passar por higienização a cada duas horas (Foto/Arquivo: Henrique Kawaminami)

Depois do decreto presidencial que incluiu igrejas e casas lotéricas como serviços públicos essenciais, a Prefeitura de Campo Grande anunciou a reabertura das atividades, porém, condicionada a série de medidas para evitar a disseminação do novo coronavírus (Covid-19). As regras são severas e haverá fiscalização surpresa, que pode resultar até em cassação de alvará, caso as determinações não sejam seguidas.

A reabertura foi divulgada pelo prefeito nesta tarde, em pronunciamento via redes sociais e antecede decreto que será publicado ainda hoje, em edição extra. Marquinhos começou dizendo que não irá ceder às pressões. “Não vai ter economia, não vai ter dinheiro que vão se sobrepor ao valor da vida, enquanto eu for gestor”, disse.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade


O decreto do presidente da República, Jair Bolsonaro, anunciado ontem e publicado hoje, no entanto, teve como consequência a flexibilização ao que já havia sido definido pela prefeitura de Campo Grande, alterando algumas suspensões decretadas pelo município desde a semana passada.

Será permitido o funcionamento, a partir de amanhã (27), das casas lotéricas em Campo Grande, apenas das 9h às 17h.  Porém, a abertura somente poderá ser feita após a higienização completa do local, que deve ser refeita a cada duas horas. Todos os funcionários deverão ser munidos de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), que são luvas e máscaras descartáveis.

Para os clientes, deve ser disponibilizado álcool em gel, a ser utilizado logo na entrada do estabelecimento. Também é preciso fazer um controle, com distanciamento de um 1,5 metro entre os clientes, com marcação no chão. “Já que nos pediram abertura, vamos dar as condições”, mas, avisou a consequência caso sejam encontradas irregularidades. “Vamos caçar o alvará”.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Restaurantes - O prefeito também aumentou a lista de regras para normatizar a abertura de restaurantes. Devem atender somente até 30% da capacidade, também com higienização antes de abrir e após fechamento, distanciamento de dois metros entre as mesas. "Se seu restaurante tem 10 mesas, só pode abrir com 3".

Para os funcionários, é estabelecido uso obrigatório de EPIs pelos funcionários, álcool em gel para clientes e, se possível, aferição da temperatura corporal de quem entrar no local. Caso seja identificada alteração, essa pessoa será proibida de entrar.

Marquinhos disse que as fiscalizações começarão amanhã, sem aviso prévio. “Já fiquem cientes que vão ter que cumprir todos os requisitos”, acrescentando que não haverá justificativa para não cumprir as regras. “Não pode falar ‘ah, mas não tem álcool em gel para comprar’; então, não abra”.

Igrejas terão de respeitar limite de dois cultos/missas por dia (Foto/Arquivo: Paulo Francis)
Igrejas terão de respeitar limite de dois cultos/missas por dia (Foto/Arquivo: Paulo Francis)

Igrejas – as entidades religiosas terão funcionamento liberado a partir de segunda-feira (31), das 6h às 19h30 limitadas a dois cultos diários. A exemplo dos outros estabelecimentos, terão de fazer a higienização antes e depois das atividades. Também devem deixar sabão e álcool em gel à disposição dos fieis.

As portas e janelas deverão ficar abertas, para manutenção do ambiente arejado. O limite de lotação vai depender de cada igreja, obedecendo o seguinte critério: uma pessoa a cada dez metros quadrados, com distância de 1,5 metro. Se possível, também fazer a aferição corporal, recusando a presença de quem apresentar alteração.

Todos os estabelecimentos liberados no decreto deverão afixar cartazes com informações sobre a Covid-19.

No pronunciamento, apesar da liberação, Marquinhos disse que não é necessário que a pessoa vá à missa ou o culto. “Podemos fazer da nossa casa a nossa igreja, a orientação do nosso pastor pode ser no meio digital; Jesus pregava no campo".

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade