A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 17 de Outubro de 2019

29/05/2019 12:38

Marquinhos vai ao Líbano por trabalho como deputado na CPI da Enersul

Prefeito recebeu convite para participar da sexta edição da Conferência da Energia da Diáspora Libane

Jones Mário
Segundo Marquinhos Trad, CPI da Enersul e descendência o creditaram a ser convidado para evento no Líbano (Foto: Kísie Ainoã)Segundo Marquinhos Trad, CPI da Enersul e descendência o creditaram a ser convidado para evento no Líbano (Foto: Kísie Ainoã)

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) fica longe de Campo Grande entre os dias 5 e 16 de junho para participar da 6ª edição da Conferência da Energia da Diáspora Libanesa, em Beirute, capital do Líbano. Segundo ele, o convite se deve a sua atuação durante a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Enersul, quando era deputado estadual.

“Vai haver um simpósio no Líbano e foram convidados todos aqueles que tiveram alguma ligação de grande impacto no setor elétrico, como nós tivemos na época da CPI da Enersul”, revelou hoje, durante evento de assinatura do decreto que regulamenta o projeto “Parceiros do Esporte e da Cultura”.

Trad foi o relator da primeira CPI da Enersul na ALMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul), finalizada em 2007. Mais tarde, em 2015, o então deputado conseguiu as assinaturas necessárias para uma nova CPI para investigar a concessionária de energia, apontando desvio de R$ 700 milhões. O TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) suspendeu a comissão, após liminar concedida a pedido da Energisa, que administra a empresa desde 2014.

Filho de imigrantes do Líbano, Marquinhos Trad disse ainda que o país está “recebendo de volta à terra todos os descendentes libaneses que se tornaram prósperos em outros países, e esse ano é do Brasil. Como nós somos um desses descendentes e coincidiu atuar no setor elétrico, no caso da Enersul, eu fui convidado. Hoje são poucos membros da nossa família lá, mas fica a história, a lembrança. Mas é uma viagem não de passeio, mas de trabalho”.

O prefeito também projetou a captação de investimentos para Campo Grande com a viagem. “Vamos até o Líbano para fazer a demonstração dos nossos trabalhos aqui e mostrar a eles o potencial de Campo Grande, investimentos amplos, que eles podem vir para cá e que vão ter a segurança de investimento para melhorar a economia e o emprego da nossa cidade”.

A ausência do prefeito da Capital foi aprovada pelos vereadores na manhã de ontem, durante a sessão ordinária na Câmara Municipal. O Decreto Legislativo 1.972/19, da Mesa Diretora da Casa, autoriza Marquinhos a se ausentar por 12 dias. Durante este período, a vice-prefeita, Adriane Lopes (PATRI), assume a Prefeitura.

De acordo com a Lei Orgânica do Município, é de competência exclusiva da Câmara de Vereadores autorizar o prefeito a se ausentar por mais de 10 dias.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions