ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUARTA  27    CAMPO GRANDE 28º

Capital

Mato Grosso do Sul é o segundo com maior número de abstenções no Enem

Em todo Brasil apenas 69,99% compareceram para fazer a prova

Por Yarima Mecchi | 07/11/2016 07:32
Estudantes lotaram locais de prova. (Foto: Marcos Ermínio)
Estudantes lotaram locais de prova. (Foto: Marcos Ermínio)

Dos mais de 139 mil inscritos de Mato Grosso do Sul no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), 34,64% não fizeram a prova. De acordo com o Ministério da Educação48.202 pessoas que deixaram de fazer a prova no Estado.

O Estado ficou em segundo lugar no número proporcional de inscritos ausentes, perdendo apenas para o Amazonas, no estado da região norte do país foram 194.160 inscritos, mas apenas 62,62% dos candidatos compareceram para fazer a prova. São 72.576 abstenções, o que representa 37,38% do total.

Em todo Brasil foram 8.356.215 inscritos e apenas 69,99% compareceram para fazer a prova e o número de abstenção chegou a 2.507.596, 30,01% do total. Para o calculo o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) excluiu os estudantes que vão fazer a prova nos dias 3 e 4 de dezembro por conta das invasões no locais de prova.

Em Mato Grosso do Sul apenas 488 pessoas deverão fazer os testes em dezembro, em função da invasão de alunos, na Uems (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) de Paranaíba - a 407 km de Campo Grande.

Em Campo Grande fiscal passou mal e Corpo de Bombeiros foi acionado. (Foto: Adriano Fernandes)
Em Campo Grande fiscal passou mal e Corpo de Bombeiros foi acionado. (Foto: Adriano Fernandes)

Eliminados - Em todo Brasil foram 768 participantes eliminados, sendo 641 por portar equipamento eletrônico, ausentar-se antes do horário permitido, utilizar impressos ou não atender orientações dos fiscais, entre outros. O detector de metais foi responsável por 120 eliminações e a recusa da coleta do dado biométrico, por 7.

Outras 28 ocorrências foram emergências médicas ou interrupção temporária de energia elétrica.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário