ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUARTA  17    CAMPO GRANDE 22º

Capital

“Me obrigou a masturbá-lo 4 ou 5 vezes”, narra vítima de motorista de aplicativo

Jovem reconheceu abusador na Deam, depois de terceira passageira denunciá-lo

Por Mirian Machado | 10/06/2022 19:08
Abusador está preso desde ontem (9), em cela da Deam. (Foto: Henrique Kawaminami)
Abusador está preso desde ontem (9), em cela da Deam. (Foto: Henrique Kawaminami)

Uma das três vítimas do motorista de aplicativo Adriano da Silva Vieira, 38 anos, preso por tentativa de estupro, ameaça e importunação sexual, relatou o terror que passou dentro do carro do criminoso, na madrugada do dia 1° de junho.

A mulher, de 27 anos, obviamente, ainda está traumatizada com o que aconteceu, mas aceitou conversar com o Campo Grande News, na condição de se manter no anonimato e não dar detalhes que possam identificá-la. Ela o reconheceu o agressor sexual na Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) esta semana, depois que o homem foi denunciado por outra passageira, de 28 anos.

A jovem lembra que no dia do crime, por volta das 1h, pediu corrida do Bairro Coophavilla para Moreninhas. “Eu confirmei a corrida, ele me mandou uma mensagem no celular confirmando se era eu que ia mesmo, por conta do horário e destino. Até aí, achei normal.”

Ela se lembra de entrar no carro e estranhar ao perceber que o motorista seguia pela rodovia. “Eu estava distraída mexendo no celular. Quando vi que ele foi diminuindo a velocidade, achei estranho, porque ele estava muito devagar”, explicou.

A jovem contou ainda que percebeu que havia uma sacolinha com algo que aparentava ser droga. Ao questionar por que o motorista tinha pegado a rodovia, Adriano teria dito que sempre ia por aquele caminho.

"Meu erro foi ter chamado atenção dele”, lamenta a vítima, ao se referir ao momento em que fez as perguntas ao autor.

Depois das perguntas, de repente, o homem pegou o celular da vítima e jogou no chão do carro próximo ao pé dele. “Já entrei em desespero. Na BR, sem celular e a hora que era. Depois, cada vez que ele parava na BR, ele usava pasta base e me obrigada a masturbar ele. Parou umas 4 ou 5 vezes”, detalhou.

O homem ainda dizia para que ela ficasse quieta, que não iria fazer nada. Ela conta que até tentou sair do carro, mas estava na rodovia e sem celular, temia que algo mais grave acontecesse.

Graças a Deus, ele não conseguiu fazer o pior, mas o trauma não é menor. Desde o dia, não consigo dormir. Estou com muito medo.”

A vítima conta que tentou se manter calma. “Eu disse que não daria queixa. Implorei para ele me deixar e ele parou duas quadras do meu destino dizendo que se eu denunciasse, ele viria atrás de mim.”

A delegada responsável pelo caso, Ana Luiz Noriler, afirmou que o abusador segue preso por pelo menos 30 dias e depois, caso haja necessidade, será feito um novo pedido de prisão.

Na cadeia - Adriano foi preso nessa quinta-feira (9), na Vila Nhanhá, na casa onde morava. Ele confessou abusos a três passageiras em Campo Grande, mas a polícia investiga se há mais vítimas. Interrogado, afirmou que é usuário de pasta base de cocaína e agia sempre sob efeito do entorpecente.

Adriano chegou a ser detido por policiais da 6ª CIPM (Companhia Independente da Polícia Militar), na madrugada de terça-feira (7), mas foi liberado após prestar depoimento e negar o crime. No entanto, novas diligências da Deam levaram a mais duas vítimas e confirmação da identidade do suspeito. Então, a polícia pediu mandado de prisão temporária, que foi determinado pela Justiça.

A prisão aconteceu após o motorista tentar estuprar uma mulher na madrugada de domingo para segunda-feira (6), quando a ela contratou uma corrida na rodoviária de Campo Grande, por volta das 4h30.

A vítima havia acabado de chegar de viagem de Ponta Porã e ia para casa, no Bairro São Francisco. Entretanto, assim que entrou no veículo Ford Ka, ela percebeu que o motorista encerrou a corrida. A mulher foi atacada, mas conseguiu fugir pela janela do carro em movimento.

Nos siga no Google Notícias