ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUARTA  05    CAMPO GRANDE 29º

Capital

Mesmo no frio, população enfrenta fila em dia de vacinação ampliada contra gripe

Prefeitura de Campo Grande liberou a vacina contra H1N1 para toda a população, independentemente de grupo de risco

Por Silvia Frias e Paulo Francis | 08/07/2020 09:24
Fila na unidade de saúde do Bairro Tirandentes, na manhã desta quarta-feira. (Foto: Paulo Francis)
Fila na unidade de saúde do Bairro Tirandentes, na manhã desta quarta-feira. (Foto: Paulo Francis)

No primeiro dia de liberação das doses de vacina contra gripe para toda a população, em Campo Grande, muita gente enfrentou a queda de temperatura, chuva e névoa em busca da imunização. Na UBS (Unidade Básica de Saúde) Tiradentes, a fila se formou antes das 5h, contornando o prédio. As senhas começaram a ser distribuídas a partir das 6h30.

O gerente da UBS, Angelo Del Grande Neto, 39 anos, disse que a unidade recebeu 500 doses, a serem usadas para destinadas a todas as faixas etárias. Com revezamento de equipe, a vacinação será feita até durante o horário de almoço e será realizada enquanto durar o estoque.

Parte da fila foi até portão da frente e seguia em caracol pela saída, do outro lado, até a rua. Neste trecho, muita aglomeração.

As pessoas começaram a chegar antes das 5h, quando a temperatura era de cerca de 17ºC e garoa fina caía sobre a cidade. Para tentar controlar o fluxo de pessoas, as senhas foram distribuídas às 6h30, uma hora antes do atendimento para imunização e até às 8h, tinham sido distribuídas 194 senhas.

O servidor público Alisson Jara, 39 anos, chegou por volta das 5h40, e conseguiu pegar a senha 48. Assim que chegou, percebeu que as pessoas não respeitavam distanciamento e uma funcionária do posto teve que fazer marcações no chão. “Acho que tinha que ter organizado melhor”, disse, preocupado com a falta de distanciamento por conta do novo coronavírus (covid-19).

A economista Flávia Fernandes, 46 anos, foi até o posto acompanhada do filho de 16 anos para vacinação. Chegou por volta das 6h30  e garantiu as senhas 85 e 86. Como já tinha fila dentro da unidade, teve que ficar ao relento, mas, já sabia da previsão de queda de temperatura e foi preparada, agasalhada e com guarda-chuva. “Está meio complicado aqui, mas é necessária [vacinação], a gente tem que se proteger”.

Com o dia amanhecendo, já havia fila na UBS do Cophavilla II. (Foto: Simão Nogueira)
Com o dia amanhecendo, já havia fila na UBS do Cophavilla II. (Foto: Simão Nogueira)

A dentista Lyssandra Peralta, 42 anos, chegou cerca de 15 minutos antes e aguardava na fila com a senha 81. Ela disse que quase não sai de casa, cumprindo isolamento social e achou que a abertura da vacinação foi desorganizada. “Tá horrível, mas todo ano é assim”.

Quem também citou a desorganização foi o autônomo Hélio Sandro, 44 anos, que estava do lado de fora. Quando chegou, por volta das 6h30, conseguiu se abrir dentro da unidade, mas por causa do distanciamento social, teve que sair, no momento que garoava. Ele ficou sabendo da vacinação na quinta-feira, quando levou o neto para atendimento e resolveu se imunizar logo no primeiro dia. “Tá demorando”, criticou.

A liberação da vacinação foi feita após Campo Grande atingir a meta de imunização de 90% do público alvo da campanha nacional, encerrada no dia 30 de julho. A dose previne três tipos do vírus influenza A (H1N1), H3N2 e B.

Embora tenha sido feita a liberação, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) alerta que é importante que integrantes dos grupos de risco que não tenham se vacinado procure alguma das 71 unidades com doses disponíveis: estão nessa relação, as crianças de seis meses a menores de seis anos, cuja cobertura vacinal está em 58,79%; gestantes (50,01%); puérperas (57,74%) e adultos entre 55 e 59 anos (45,10%).

Trabalhadores da saúde, idosos acima de 60 anos, pessoas com deficiência e população privada de liberdade superam a marca de 100% de cobertura.  Ao todo foram imunizadas 228.383 pessoas, na rede pública e particular.

Fila ocupa estacionamento de unidade do Tiradentes. (Foto: Paulo Francis)
Fila ocupa estacionamento de unidade do Tiradentes. (Foto: Paulo Francis)