A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018

08/05/2018 11:35

Misto-quente no aeroporto custa o dobro de padaria em área nobre

Valor do aluguel é apontado como justificativa por empresários

Kleber Clajus
Comprado separadamente, misto-quente pode chegar a R$ 16 no aeroporto e R$ 8,15 em padaria (Foto: Marina Pacheco)Comprado separadamente, misto-quente pode chegar a R$ 16 no aeroporto e R$ 8,15 em padaria (Foto: Marina Pacheco)

A conta é indigesta para quem viaja, seja de avião ou ônibus, em Campo Grande. Um misto-quente pode chegar aos R$ 16, se comprado separadamente, o que representa o dobro do valor cobrado em padaria de bairro nobre. Combos, por outro lado, seriam mais econômicos aos desconfiados passageiros que tem preferido comer em casa a comprar nos terminais.

"No aeroporto não dá, está muito caro e tudo inflacionado. Café mesmo só em casa ou traz uma marmita", brincou a estudante de Psicologia Ana Carolina Rangel, 25 anos. Salgados na rodoviária, conforme o psicólogo Daniel Torres, 29 anos, estão "carinhos pelo tamanho".

Para empresários, os custos do aluguel impactam diretamente nos preços praticados. Um dos estabelecimentos no aeroporto desembolsa quase R$ 40 mil por mês. "O aluguel é a razão dos preços. Aqui é por licitação presencial que acaba virando leilão", disse um deles.

O café custa, em média, de R$ 6 a R$ 9 no terminal aeroportuário. Na rodoviária, R$ 4,50. Padarias e lanchonetes vendem o mesmo item entre R$ 1 e R$ 3,50. Já um copo de suco natural de laranja tem variações entre R$ 4 e R$ 9 entre os estabelecimentos, contudo vale atentar para a quantidade servida ao consumidor que vai de 300 ml a 500 ml.

Combo com misto-quente e suco natural é opção mais econômica no aeroporto (Foto: Kleber Clajus)Combo com misto-quente e suco natural é opção mais econômica no aeroporto (Foto: Kleber Clajus)
Há quatro opções para compra de alimentos e bebidas na rodoviária (Foto: Arquivo/Campo Grande News)Há quatro opções para compra de alimentos e bebidas na rodoviária (Foto: Arquivo/Campo Grande News)

Comprado em padaria no Jardim São Bento, o misto quente custa R$ 8,15. No aeroporto, tem cardápio com valores de R$ 12 a R$ 16, porém os combos com suco valem R$ 16,90. Tradicional, o pão de queijo no Centro tem preço a partir de R$ 4, ante R$ 6 dos terminais.

"Tomei um café com pão de queijo, comprei água e chiclete. A conta deu R$ 15 e achei o preço razoável", avaliou a dona de casa Rosedi Gomes, 53 anos, imaginando que pagará bem mais caro até chegar a seu destino na Itália.

Concorrência restrita - Foram identificados pela reportagem do Campo Grande News quatro estabelecimentos no aeroporto e rodoviária que vendem alimentos e bebidas.

Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária) e Socicam negaram, em notas, interferência na definição dos preços praticados pelos lojistas em áreas sob sua concessão. Admitiram ainda que entram na conta o valor do aluguel, perfil e movimento de passageiros.

"Em função da concorrência entre os participantes, há valores [de aluguel] que chegam a subir mais de 100% em relação ao valor inicial da abertura da licitação", destacou a Infraero.

Diante da necessidade de ajustes, muitos passageiros acabam mesmo por seguir o conselho da estudante de Zootecnia Marina Alves, 21 anos, de "comer em casa ou comprar o lanche no mercado". Contudo, se a fome apertar vale comparar preços do local de partida e destino.

(Arte: Campo Grande News)(Arte: Campo Grande News)


Os valores só chegam a essas cifras exorbitantes porque tem quem paga. É só deixarem de comprar pra ver o que acontece... Que coisa é essa que esse povo não pode sair de casa e já dá fome, vontade de ir no banheiro... Deixa de comprar, ninguém vai morrer de fome e esses comerciantes que praticam abuso nos preços vão começar a mudar de atitude.
 
Mariana Carvalho em 08/05/2018 12:49:37
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions