A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

14/04/2011 14:55

MS tem quase seis candidatos para cada criança disponível à adoção

Débora Diniz, de Brasília

Mato Grosso do Sul tem mais de cinco pretendentes para cada criança ou adolescente disponível para adoção.

Dados divulgados hoje pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), com base no Cadastro Nacional de Adoção (CNA), mostram que o estado tem 419 candidatos para 78 meninos e meninas. A média se equipara à nacional. Em todo o Brasil, são 26.694 pretendentes para 4.427 menores.

O levantamento traça um perfil dos candidatos a pais e é, justamente, nas exigências apresentadas que pode estar a explicação para que algumas crianças permaneçam sem família, mesmo havendo tantas pessoas dispostas à adoção.

Em todo o País, menos de 20% dos candidatos aceitam adotar irmãos, por exemplo, e 75,72% das crianças e adolescentes têm irmãos.

A cor é outra questão delicada. Mais de 45% dos meninos e meninas são pardos e outros 19,11%, negros. Mas 37,94% dos pretendentes só querem um filho se for branco e apensas 31,22% se dizem indiferentes à raça da criança.

No Centro-Oeste, mais de um quarto dos candidatos faz alguma exigência em relação a cor, mas a preferência pelos brancos é bem menor: 17,22% dos cadastrados exigem que seja essa a tonalidade da pele de seu filho.

A idade, porém, é o fator mais restritivo. Menos de 4% dos pretendentes identificados pelo CNJ aceitam adotar uma criança ou adolescente a partir dos 7 anos. Mais de 60% querem bebês de até 2 anos de idade.

O cadastro

O CNA foi criado pelo CNJ em 2008, para mapear a unificar as informações de todos os tribunais do país, com o objetivo de agilizar o processo de adoção.

Agora, uma pessoa cadastrada pode adotar uma criança ou adolescente em qualquer estado na Federação.

O CNA é considerado uma ferramenta precisa e segura, de auxilio aos juízes na condução dos procedimentos de adoção e de desburocratização de todo o processo.



EU E MEU ESPOSO QUEREMOS ADOTAR UMA CRIANÇA DO SEXO FEMEN NOS DOIS FIZEMOS A PREPARAÇÃO JA ESTAMOS HABILITADO MAIS DEMORA MUITO ESTAVA JA DESISTINDO DA ADOÇÃO.
 
marinasantos aparecida da silva dos santos pereira em 19/11/2013 18:22:49
tenho 32 anos, minha esposa e eu queremos adotar uma criança de colo, não podemos ter uma, então resolvemos adotar uma, meu telefone 92009491, obrigado, estou aguardando resposta
 
Rui Decanine em 15/12/2011 03:22:28
fiquei sabendo que eu posso ser madrinha de uma criança pegando ela todo final de semana , gostaria de saber como posso me cadastrar e se é muito burocratico...
 
viviane mendonça em 25/05/2011 09:05:22
Gostaria de saber qual é o critério usado para conseguir adotar uma criança, pois eu e meu esposo estamos na fila fazem 03 anos, não exigimos cor nem sexo e aceitamos grupos de irmãos, mesmo assim não obtivemos sucesso ainda, eqto varias crianças, estão esperando por uma família.
 
Inalu Silva Souza em 27/04/2011 07:53:13
Esses MENU de crianças teria que ser extinto, não é comercio para escolher, quem pretende dar amor não tem cor, idade e sexo.
adotei dois a minha escolha foi, qual é a criança que ninguém pretende adotar? é essa que eu quero, estou com um casal de imãos, foi a melhor atitude que tive na minha vida.
A justiça para mim foi rápida não tenho que reclamar, porém não escolhi ninguém.
 
Teresa Tânia em 14/04/2011 05:50:26
Os abrigos estão cheios de bebês pequenos, até recem nascidos, mas a justiça é tão enrolada que essas crianças acabam crescendo dentro dos abrigos, enquanto centenas de famílias aguardam uma adoção. Os magistrados ficam tentando "reintegrar" essas crianças aos familiares, familiares esses, que as maltrataram, negligenciaram e abandonaram, enquanto isso as crianças vão crescendo sem um referencial de família, sem saber o que é um colo de mãe, ou o que é uma mãe de verdade; gerando um trauma que terapia nenhuma poderá resolver...quem a justiça está priorizando? Será que o bem estar da criança está vindo realmente em primeiro lugar? O melhor para essas crianças não seria crescer em um lar, com uma família que irá amá-las incondicionalmente, e lhes fornecer tudo que precisam e merecem? Ou será que o melhor é devolve-las às pessoas que nunca a quiseram e nem teem condições de criá-las?
 
neiva correia em 14/04/2011 04:20:58
Amor não tem idade, cor, sexo. Se esse fosse o pensamento de quem se disponibiliza a adotar uma criança, tenho certeza que não existiriam tantos meninos e meninas abandonados em orfanatos
 
ricardo melo em 14/04/2011 03:17:26
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions