ACOMPANHE-NOS    
MAIO, DOMINGO  31    CAMPO GRANDE 23º

Capital

Mulher é assassinada no lugar do marido, atingida por dois tiros na cabeça

O esposo tentou dirigir até o hospital, encontrou as equipes de socorro no caminho, mas ela não resistiu

Por Geisy Garnes e Liniker Ribeiro | 02/04/2020 14:31
A vítima estava no Celta com o marido quando foi atingida pelos disparos (Foto: Henrique Kawaminami)
A vítima estava no Celta com o marido quando foi atingida pelos disparos (Foto: Henrique Kawaminami)

Uma mulher de aproximadamente 22 anos foi morta com dois tiros na cabeça após atentado no Jardim Noroeste, na tarde desta quinta-feira (2), em Campo Grande. Para a polícia, o verdadeiro alvo do crime era o marido da vítima. Buscas pelos autores são feitas na região.

Conforme informações preliminares, a vítima e o marido estavam em um Chevrolet Celta, na proximidade da Rua Ataúlfo Paiva, quando foram alvos dos disparos. A mulher estava no banco de passageiro e acabou ferida por dois tiros na cabeça.

Desesperado, o marido da jovem tentou dirigir até uma unidade de saúde da Capital. No meio do caminho, na Avenida Ministro João Arinos, foi interceptado por equipes do Corpo de Bombeiros e do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), acionadas por testemunhas.

A vítima foi retirada do carro e recebeu os primeiros atendimentos na margem da avenida, mas não resistiu aos ferimentos. Cinco equipes da Polícia Militar, sendo duas do Batalhão de Choque, foram ao local, ouviram o marido da vítima e saíram em busca dos autores, que estavam em uma motocicleta.

Para a polícia, a principal hipótese é de que a mulher foi ferida por engano, no lugar do marido. Ele teria deixado a prisão há dois meses. Detalhes sobre os possíveis a autores não foram repassados para a imprensa. Perícia e Polícia Civil já foram chamadas para ir até o local.

Marca do tiro do para-brisa do carro (Foto: Henrique Kawaminami)
Marca do tiro do para-brisa do carro (Foto: Henrique Kawaminami)
Corpo da mulher ao lado do veículo. (Foto: Henrique Kawaminami)
Corpo da mulher ao lado do veículo. (Foto: Henrique Kawaminami)