A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

08/06/2012 11:49

Mulher é morta com corte na garganta e suspeita é que foi latrocínio

Viviane Oliveira e Mariana Lopes

Segundo a Polícia Civil, a mulher foi morta com oito facadas, a maioria na garganta e as restantes em outras partes do corpo

Corpo de Juliana foi encontrado na manhã de hoje. (Foto: Minamar Júnior)Corpo de Juliana foi encontrado na manhã de hoje. (Foto: Minamar Júnior)

Uma mulher de 42 anos foi encontrada morta, com vários cortes de faca na garganta e pelo corpo, dentro de casa, por volta das 10h desta sexta-feira (8). O crime aconteceu na rua dos Arquipélagos, no bairro Coophavila II, em Campo Grande.

De acordo com a Polícia Militar, Juliana Corraleiro da Silva foi encontrada morta pelo vizinho José Amilton Duran, de 41 anos. A vítima estava só de roupas intimas, com o corpo coberto por um cobertor até a cintura, em um colchão no quarto.

Ao ouvir pedido de socorro, o vizinho disse que pulou o muro e ao entrar na casa viu o corpo no quarto. A residência estava com a porta dos fundos arrombada e as coisas reviradas.

De acordo com a família da vítima, a mulher e o esposo havia se mudado recentemente para o bairro. “O marido está em Bandeirantes. Por enquanto ela estava sozinha aqui”, disse o cunhado, que não quis se identificar.

Ele disse que esta noite foi a primeira vez que ela dormiu sozinha. “Sempre vinha alguém da família posar com Juliana”, lamenta.

A Polícia Civil informou que aparentemente a mulher foi morta com oito facadas, a maioria na garganta e as restantes em outras partes do corpo. Neste momento a pericia está no local. Muito abalada, à mãe da vítima foi encaminhada pelo Corpo de Bombeiros para atendimento médico.

O caso será registrado como latrocínio, roubo seguido de morte, na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do bairro Piratininga e será encaminhada à Derf (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos).

Brinquedos feitos por detentos são doados para crianças em escola
Parceria feita entre a a Semed (Secretaria Municipal de Educação) e a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) garantiu ne...
Falta de pagamento faz prefeitura suspender hemogramas na rede pública
A falta de pagamento para um fornecedor de insumos fez com que a prefeitura de Campo Grande suspendesse a partir desta quarta-feira (13) a realização...


é um absurdo uma brutalidade desse tamanho a uma pessoa gentil e dócil como a Juliana,minha amada prima, estaremos junto com as autoridades de Campo Grande, buscando pelo esclarecimento desse crime e queremos ver os culpados ou culpado presos.
Dario Corralero Silva
 
Dario Corralero Silva em 09/06/2012 12:27:50
Concordo com Wellington Sampaio, quem mata uma vez sempre mata, ainda com essa brutalidade, deve haver pena de morte no Brasil, pois só assim eles vão ver que o negócio É sério senão vamos continuar perdendo pessoas do bem por bandidos covardes. Morte as Assassinos!!!!!!!! E também assim diminuiremos as lotações nas cadeias,( se resolvem dois problemas de uma só vez).
 
Adriana Peralta Gomes em 08/06/2012 10:54:11
Por isso que sempre fui à favor de pena de morte ou prisão perpétua ou castigos brutais para marginais que cometem crimes hediondos ou brutais, assim como este.
Já dizia um velho amigo meu: Bandido bom, é bandido morto!!!
 
Wellington Sampaio em 08/06/2012 06:02:17
Que brutalidade....
 
MAYARA GRANCE em 08/06/2012 03:17:59
A Coophavilla II está mais uma vez nas manchetes dos casos de violência... na semana passada uma mulher, moradora da mesma rua onde hj a professora foi assassinada, sofreu atentado a bala disparados por traficantes contra sua residência. Cadê a segurança pública? A PM da Região possui apenas 2 viaturas (carros) e 5 motocicletas para fazer a ronda da região de aproximadamente 140 mil habitantes.
 
Alexandre Moura em 08/06/2012 03:04:42
mais uma mulher vitima de violencia!
 
Alex Roberto em 08/06/2012 01:06:02
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions