ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, SÁBADO  24    CAMPO GRANDE 26º

Capital

Na rotina dos “donos da rua”, trânsito emperra com tantas irregularidades

Aline dos Santos | 28/06/2018 08:45

“Se essa rua, se essa rua fosse minha, eu mandava, eu mandava ladrilhar”. Em Campo Grande, a cantiga popular pode ser atualizada por mandar rebaixar a guia e pintar de amarelo; filas duplas, principalmente, na porta de escolas particulares, que roubam faixa de rolamento; ou tomar conta por meses a fio de um trecho da via bem no Centro da cidade.

Indignado, cidadão abre os braços diante do carro na faixa de pedestre na avenida Afonso Pena (Saul Schramm)
Indignado, cidadão abre os braços diante do carro na faixa de pedestre na avenida Afonso Pena (Saul Schramm)

Flagrante na faixa 

No quesito dono da rua se insere comportamento de motorista flagrado na avenida Afonso Pena. Com o semáforo vermelho para os carros, a regra é clara: é a vez dos passantes, que contam, inclusive com ponto sinalizado para a travessia. Mas, na manhã de segunda-feira (dia 25),  um condutor não titubeou em parar exatamente na faixa de pedestre. 

Conforme o artigo 183 do CTB (Código de Trânsito Brasileiro), parar o veículo sobre a faixa de pedestres na mudança de sinal é infração média, punida com multa e quatro pontos na CNH (Carteira Nacional de Habilitação)

Na Rua da Paz, obra retirou vaga de estacionamento, com rebaixamento irregular. (Foto: Marina Pacheco)
Na Rua da Paz, obra retirou vaga de estacionamento, com rebaixamento irregular. (Foto: Marina Pacheco)

Reforma engole vaga 

Na Rua da Paz, no Jardim dos Estados, uma vaga de estacionamento foi “engolida” durante sucessivas reformas de um imóvel comercial. A calçada em frente ao local foi toda rebaixada e pintada de amarelo.

De acordo com a prefeitura de Campo Grande, o rebaixo do meio-fio não poderá ultrapassar 60% da testada do imóvel. A fiscalização é feita pela Semadur (Secretaria de Meio Ambiente e Gestão Urbana), que recebe denúncias por meio do telefone 156.

No Centro de Campo Grande, na Rua Dom Aquino, a obra toma parte da rua por meses a fio. (Foto: Marina Pacheco)
No Centro de Campo Grande, na Rua Dom Aquino, a obra toma parte da rua por meses a fio. (Foto: Marina Pacheco)

Máquinas e desnível 

Na quadra da rua Dom Aquino, próximo da José Antônio, parte da faixa de rolamento da esquerda é tomada por máquinas e buracos. A interdição faz parte da obra de um prédio, que já resultou em asfalto desnivelado perto do meio-fio.

A construção acarreta em dificuldade para encontrar vaga de estacionamento e muita poeira, visível no pó que encobre as motocicletas paradas no entorno do prédio.

Fiscalização zero: caçambas de entulho ocupam vagas na rua Piratininga. (Foto: Marina Pacheco)
Fiscalização zero: caçambas de entulho ocupam vagas na rua Piratininga. (Foto: Marina Pacheco)

Caçambas estacionadas 

Na rotina diária de quem busca vagas de estacionamento, as caçambas de entulhos surgem como complicador. Na rua Piratininga, são quatro enfileiradas ao lado de uma obra.

De acordo com a regulamentação da prefeitura, publicada na edição do dia 18 de março de 2010, os equipamentos usados como caçambas devem seguir uma série de requisitos, como estarem devidamente sinalizados, com 16 faixas refletivas, pintadas de amarelo e com a devida numeração e com a identificação da empresa responsável e telefone para contato.

Quanto a instalação, elas devem ocupar a faixa de estacionamento dos logradouros, colocadas de forma perpendicular ou paralelas à guia da calçada. A distância mínima entre a caçamba e a esquina mais próxima deve ser de no mínimo cinco metros. É permitida a instalação de duas caçambas por vez, ou três em casos de uma quantidade muito grande de lixo.

Na rua Dona Joana, rotina é fila dupla, com muitos carros invadindo as calçadas.  (Foto: Marina Pacheco)
Na rua Dona Joana, rotina é fila dupla, com muitos carros invadindo as calçadas. (Foto: Marina Pacheco)

Multa moral

Eles tentaram. Fizeram campanhas, conversaram e até aplicaram “multa moral”, mas o trabalho dos filhos não foi suficiente para convencer os pais a mudarem o comportamento no trânsito. As filas duplas e carros estacionados nas calçadas são rotina na rua Dona Joana, em frente a colégio particular. 

Parar em fila dupla é infração grave, com multa de R$ 127 e cinco pontos na CNH (Carteira Nacional de Habilitação). No ano passado, foram 692 multas por fila dupla em Campo Grande.

 

Confira a galeria de imagens:

  • Rua Pôrto Nacional, ao lado de supermercado, é tomada por caminhões. (Foto: Marina Pacheco)
  • Na rua 14 de Julho, Centro da Cidade, motociclista estacional em local proibido. (Foto: Saul Schramm)
  • Na rua Cubatão, faixa amarela não inibe irregularidades. (Foto: Saul Schramm)
  • Na 14 de Julho, fila dupla atrapalha o trânsito. (Foto: Saul Schramm)
  • Fila dupla em frente à escola. (Foto: Marina Pacheco)
Nos siga no Google Notícias