ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SÁBADO  24    CAMPO GRANDE 22º

Capital

Nova tarifa do transporte coletivo passa a vigorar nesta segunda

Por Viviane Oliveira | 27/02/2011 11:37

O aumento do preço do diesel foi um dos fatores para o reajuste de 8%

A partir de amanhã será de R$ 2,70 para linhas urbanas. (foto: Simão Nogueira)
A partir de amanhã será de R$ 2,70 para linhas urbanas. (foto: Simão Nogueira)

A partir de amanhã (28) passa a valer as novas tarifas do transporte coletivo na cidade, para linhas urbanas o valor será de R$ 2,70 para linhas urbanas, R$ 3,35 para linhas executivas, o chamado fresquinho, e R$ 9,60 para tarifa cheia até o Distrito de Anhanduí. O troco máximo dentro dos coletivos será de R$ 10,00.

O decreto que estabelece o preço da tarifa de R$ 2,70 para as linhas urbanas, um aumento de 8% em relação ao preço atual, também estipula 7 datas comemorativas em que haverá desconto no valor da tarifa. O usuário que usar cartão para pagar a passagem vai pagar, nesses dias, R$ 1,00.

Essa tarifa vale para o Dia do Trabalhor (1º de maio), Dia das Mães (9 de maio), Dia dos Pais (9 de agosto), Aniversário de Campo Grande (26 de agosto), Dia de Finados (2 de novembro), Natal e Ano Novo.

Para a Técnica de Penitenciária, Micheline Teles, 38 anos, o preço da passagem em Campo Grande é abusiva. “Faz um ano que moro aqui na cidade e não me conformo com o valor dessa tarifa. A cidade é um ovo, sou de Pernambuco, lá a gente anda Recife toda pelo valor de R$ 1,85, argumentou.

“A passagem só aumenta mesmo, já tem uma hora que estou esperando ônibus. O preço é alto e a qualidade é péssima”. afirma a operadora de Telemarketing, Vanessa Firmo Ferreira, 29 anos.

A diarista, Lourdes Firmo Ferreira, 47 anos, reclama que todos os domingos têm que pegar ônibus para ir para a igreja. “Esse valor é auto demais, o salário mínimo aumenta e junto com ele sobe tudo”, lamenta Lourdes.

Reajuste - Os novos preços do transporte coletivo foram anunciados na semana passada, após reunião entre representantes das empresas, da Agetran (Agência de Transporte e Trânsito) de Campo Grande e da Agência de Regulação de Serviços Públicos Delegados.

A tarifa, segundo foi explicado, foi calculada com base em planilha elaborada pela UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul). O aumento do preço do diesel foi um dos fatores apontados para o reajuste de 8%.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário