A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

13/09/2014 10:03

Onda de roubos faz comércio adotar toque de recolher no Jardim Canguru

Alan Diógenes
Comerciantes colocaram grades nos prédios para evitar ação de ladrões. (Foto: Marcelo Calazans)Comerciantes colocaram grades nos prédios para evitar ação de ladrões. (Foto: Marcelo Calazans)

Após presenciarem diversos acidentes de trânsito e cenas de crimes como assaltos e furtos, moradores do Jardim Canguru, na rua Catiguá, em Campo Grande, estão clamando por segurança na região. Os comerciantes estão até fechando o comércio mais cedo, devido a onda de assaltos.

De acordo com a comerciante Carmen Sales, 38 anos, com o aumento da população o fluxo de veículos cresceu no local. Devido ao fato, o número de acidentes aumentou de uns anos para cá. “O pior é que essa rua é estreita e vários veículos ficam estacionados. As vezes fica difícil de passar. Na verdade a rua não comporta mais tantos carros”, destacou.

A dona de casa Kelly Martins, 33, acredita que redutores de velocidade ajudaria a coibir os acidentes. “Os motoristas não respeitam a lei de trânsito e acabam abusando da velocidade. Com os redutores eles terão que trafegar devagar se não serão multados”, apontou.

Outra reclamação é quanto a onda de crimes que está amedrontando os moradores. O mecânico Valmir Bento Moreira, 40, contou que o que mais se ouve das pessoas são lugares que foram roubados por bandidos armados. “Está muito feio mesmo por aqui. Os bandidos estão roubando em plena luz do dia. Isso é um absurdo”, comentou.

O proprietário de uma loja de roupas Francisco Jovelino dos Santos, 41, disse que os ladrões levaram R$ 6 mil em mercadorias do seu estabelecimento. Ele chegou a registrar um B.O. (Boletim de Ocorrência), mas a polícia não investigou o crime. “Não adianta nada avisar a polícia por que eles não vem nem saber como foi que aconteceu o crime”, apontou.

A maioria dos comerciantes que foram assaltados informaram a mesma forma dos bandidos agirem. Segundo eles, os ladrões aparentam serem menores de idade e sempre chegam em dupla e conduzindo motocicletas. Em seguida eles anunciam o assalto, levam dinheiro e celulares das vítimas.

O Campo Grande News entrou em contato com a Polícia Militar sobre o atendimento da região, mas não teve retorno.

Acidentes na rua são comuns devido ao grande fluxo de veículos. (Foto: Marcelo Calazans)Acidentes na rua são comuns devido ao grande fluxo de veículos. (Foto: Marcelo Calazans)


Olá Campo Grande News, quero fazer um apelo ao Ministério Público Estadual. Por favor, fiscalize esse serviço que é essencial à população, portanto, é dever do MPE fiscalizar. É monstruosa a falta de viaturas nas ruas. Em dia de pico, sexta-feira, por exemplo, a Polícia Militar deixa de atender 60% das chamadas que chegam à sua central de atendimento. Caso queiram comprovar, é só pedirem o extrato de atendimento e irão comprovar. Por isso os comerciantes, assim como eu, estão em pânicos.
Só para registrar, vejam o que está acontecendo com o Batalhão daquelas viaturas rajadas (SIGOE), os PMs estão sem viaturas para trabalharem faz 12 dias. Então MPE, até quando vão ficar assistindo? Não é só a saúde que precisa de atenção, não aguentamos mais!
Tomara que o Governo veja este comentário!
 
TOYOSHI SATO em 13/09/2014 18:20:03
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions