ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, DOMINGO  20    CAMPO GRANDE 21º

Enquetes

Para maioria, casos de covid-19 ainda não foram estabilizados em Campo Grande

Capital sul-mato-grossense já atingiu marcas de 200 óbitos e 13 mil casos confirmados do novo coronavírus

Por Gabriel Neris e Aletheya Alves | 12/08/2020 07:18
Movimentação no Centro de Campo Grande (Foto: Marcos Maluf)
Movimentação no Centro de Campo Grande (Foto: Marcos Maluf)

Campo Grande ainda não conseguiu estabilizar os casos de covid-19. É o que diz a maioria dos internautas que participaram da enquete de terça-feira (11) do Campo Grande News.

Para 77% dos leitores, a Capital ainda não chegou ao pico da doença, enquanto somente 23% acreditam que o coronavírus foi controlado.

Resultado da enquete de terça-feira. Maioria votou "não" (Foto: Reprodução)
Resultado da enquete de terça-feira. Maioria votou "não" (Foto: Reprodução)

De acordo com a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), a cidade já atingiu a marca de 200 óbitos provocados pela covid-19 e passou dos 13,2 mil casos confirmados.

Nas ruas, moradores ouvidos pela reportagem acompanham os votos da maioria.

“Acho que não estabilizou, parece algo distante ainda. Muita gente continua sem acreditar na doença, então não respeitam mesmo. Mas eu espero que estabilize, o que a gente vai fazer se continuar piorando? Espero que fique mais tranquilo”, diz a dona de casa Suene Marques Martins, de 28 anos.

O segurança Magnum Queiroz, de 29 anos, acredita até que a escalada de óbitos tenha freado. “A taxa de mortes talvez tenha estabilizado, mas os casos não. O problema é que jovem tem ido para restaurante, bar, todo mundo se abraçando. A gente vê que os casos continuam aparecendo e não tem como imaginar o contrário”, afirma.

A técnica em Radiologia Lucielen Medeiros, de 29 anos, afirma que tem levado a sério o distanciamento social. “A gente tenta não sair de casa. Muita gente nas ruas, o povo sem se importar. Nem nossa família a gente tem visto”, afirma.

Leticia é vendedora e diz que quase não "vê o movimento" (Foto: Marcos Maluf)
Leticia é vendedora e diz que quase não "vê o movimento" (Foto: Marcos Maluf)

A vendedora Letícia de Oliveira, de 26 anos, conta que tem saído somente para trabalhar e imediatamente volta para casa. “Eu só fico no serviço, quase não vejo o movimento. Mas sempre tem notícia de morte, de gente doente. A situação tem ficado feia mesmo”, diz.

Em Mato Grosso do Sul, segundo a Secretaria Estadual de Saúde, os casos confirmados de covid-19 chegaram a 32.562, com 544 mortes relacionadas à doença em 54 municípios.