A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

16/04/2015 16:11

Pela 3ª vez na história, defensoria faz eleição democrática para defensor-geral

Ricardo Campos Jr.

Pela terceira vez em 34 anos de existência, a Defensoria Pública de Mato Grosso do Sul realiza eleição democrática para compor a lista tríplice de indicações para o cargo de defensor público-geral, o mais alto da instituição. Até 2011, segundo a assessoria do órgão, apenas defensores de segunda instância podiam se candidatar.

Com a abertura a todos os demais defensores acima de 35 anos, concursados e estáveis, houve oito candidaturas. Todos os 173 defensores do estado escolherão três nomes cada. Os mais votados terão os nomes enviados ao governador Reinaldo Azambuja (PSDB) para a decisão final.

As opções de escolha são: Almir Silva Paixão, Carmen Silvia Almeida Garcia, Helkis Clark Ghizzi, João Miguel de Souza, Juliana Claudia Honório Lyrio, Luciano Montalli, Olga Lemos Cardoso de Marco e Reginaldo Marinho da Silva.

Entre as funções do eleito está a chefia da comissão de concursos públicos, integrar o conselho superior do órgão e deliberar a respeito de processos e ações sob responsabilidade da instituição.

O pleito será das 8h às 18h na sede do órgão, no Parque dos Poderes, em Campo Grande. Como a apuração deve sair apenas na sexta, e segunda e terça-feira são pontos facultativos por conta do feriado de Tiradentes, a publicação do resultado deve ser feita apenas na quarta-feira.

Além do defensor-geral, a instituição pública, que fornece auxílio jurídico gratuito a pessoas com hiposuficiência financeira, conta com uma corregedoria cuja responsabilidade é fiscalizar as atividades do órgão.

No Conselho Superior, além do defensor-geral, dos dois subdefensores gerais e do corregedor, fazem parte outros seis membros eleitos e oito suplentes.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions