A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

27/06/2016 11:54

Pipa nunca mais, diz menino que teve panturrilha dilacerada por pit bull

Viviane Oliveira e Guilherme Henri
Mãe acompanha o filho no hospital, que deve passar nos próximos dias por cirurgia de enxerto para reconstrução de pele. (Foto: Guilherme Henri) Mãe acompanha o filho no hospital, que deve passar nos próximos dias por cirurgia de enxerto para reconstrução de pele. (Foto: Guilherme Henri)

"Nunca mais vou soltar pipa", comentou na manhã desta segunda-feira (27) o menino de 12 anos que teve a panturrilha dilacerada por um cão da raça pit bull. Ele está internado na Santa Casa de Campo Grande e deve passar nos próximos dias por cirurgia plástica. Ainda assustado, o garoto conta que havia pulado o muro de uma casa para tentar recuperar a pipa enroscada em uma árvore, quando o cachorro grudou em sua perna.

No momento do ataque não tinha ninguém na residência e o adolescente foi salvo por dois homens que passavam pelo local. O caso aconteceu na tarde de ontem (26), na Rua José Gildásio Mattos Passini, na Vila Fernanda, em Campo Grande.

A dona de casa Luciana Xavier, 42 anos, mãe do garoto, conta que mora na região há pouco mais de um mês. Ontem, o menino aproveitou que o irmão mais velho, de 18 anos, saiu para jogar futebol, e foi soltar pipa.

Durante a brincadeira, a pipa ficou enroscada em uma árvore e na tentativa de recuperar o brinquedo, o menino não pensou duas vezes em ir atrás. sentada sobre o muro, com uma das pernas voltada para o lado da casa, a criança foi atacada pelo cachorro. “Ele ficou grudado na minha perna e não tinha ninguém na residência”, relembra.

Desesperado e gritando por socorro, o menino foi salvo por dois homens que passavam pelo local. “Ele foi puxado. Se tivesse caído no quintal, com certeza meu filho teria morrido”, relata a mãe do garoto. Ainda emocionada, a dona de casa diz que quer saber quem foram os dois anjos que salvaram o filho dela. “Quero agradecer”, diz.

No dia 13 deste mês, uma criança de 10 anos foi atacada, na cidade de Itaquiraí. (Foto: arquivo/Folha do ConesulNo dia 13 deste mês, uma criança de 10 anos foi atacada, na cidade de Itaquiraí. (Foto: arquivo/Folha do Conesul

Segundo o adolescente, enquanto era atacado pelo cachorro não sentiu dor. “Senti e chorei muito apenas quando fui tomar banho”, conta o menino, que aguarda na enfermaria para fazer cirurgia de enxerto de pele. Mesmo sentido muito, a mãe afirma que o único errado da história é o filho. “Ele já foi orientado por mim para não ir atrás de pipa, porque é perigoso”.

No começo deste mês, caso semelhante aconteceu Itaquiraí, distante 410 quilômetros de Campo Grande. Criança de 10 anos sofreu vários ferimentos após ser atacada por um cachorro da raça pit bull. A criança jogava bola na Rua Tiradentes, quando o brinquedo caiu no quintal de um vizinho da região O garoto pulou o muro para pegar a bola e foi atacado pelo animal. O menino foi socorrido pelos vizinhos, que ouviram os gritos de pedido de ajuda. A criança sofreu ferimentos na coxa, rosto, tórax, braços e boca.



O filho de um vizinho invadiu o meu quintal pra buscar uma pipa e mesmo alertado por vizinhos que existia um cachorro no quintal a criança insistiu em entrar, por sorte eu havia levado o meu cachorro (pastor alemão) ao veterinário.
 
Esc em 27/06/2016 14:25:23
Quem sabe agora a mãe preste mais atenção no filho a não transfira a responsabilidade para os outros. Quem deve cuidar de filho é pai e mãe e não os irmãos, além de explicar que deve-se respeitar o espaço dos outros. Não deve-se entrar na casa de ninguém em ser convidado, que dirá pular o muro.
 
Ju em 27/06/2016 14:11:48
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions