A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

17/07/2014 18:37

Polícia ouve operários que trabalharam com pintor em obra do Exército

Renan Nucci
Pintor foi visto pela última vez no dia 1º de julho. (Foto: Alessandro Martins/Arquivo)Pintor foi visto pela última vez no dia 1º de julho. (Foto: Alessandro Martins/Arquivo)

A DEH (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Homicídio) de Campo Grande começou a colher depoimentos sobre o desaparecimento do pintor Lauri Borges, de 42 anos.

Até o momento, foram ouvidos apenas colegas que trabalharam com ele pela última vez em um obra do Exército na Capital. O conteúdo dos relatos não foi divulgado. Uma mulher com quem Lauri mantinha relacionamento amoroso também foi intimada.

Nesta quinta-feira (17), investigadores da Polícia Civil colheram informações junto aos familiares, mas ainda não há informações que possam levar ao paradeiro da vítima.

Esperança – O sumiço completa hoje 17 dias, e mesmo após esse tempo, a família não perde as esperanças, principalmente porque não foi encontrado nenhum corpo com as mesmas características do pintor.

A irmã, Simone de Oliveira Borges, 32 anos, relata que parentes já fizeram buscas por conta própria em diversos locais da Capital, tais como matas localizadas às margens de rodovias, córregos e áreas conhecidas como “inferninhos”.  “A gente acredita que ele ainda esteja vivo, mantido em cativeiro, já que até agora nenhum corpo apareceu”, explicou.

Na noite dos fatos, Lauri utilizava jeans e um moletom xadrez nas cores mostarda e preta. Testemunhas contam que era por volta das 21h30, quando o viram sendo obrigado a entrar em um automóvel ocupado por quatro pessoas. A ação teria ocorrido em frente à casa onde ele vivia com a mãe e o filho de quatro anos, na região do Nova Lima.

Temendo por sua segurança, Ana Joaquina Borges, 64 anos, mãe de Lauri, e o neto, deixaram a casa por período indeterminado. O motivo seria porque, além de estarem sozinhos, havia pessoas estranhas rondando o local. A vítima era usuária de drogas, mas de acordo com a irmã, fumava somente cigarro de maconha. 

 

 

 



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions