A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

01/12/2011 09:14

Policiais do RJ e MS fazem operação na Capital e em mais quatro estados

Francisco Júnior

A operação é realizada também no Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Cerca de 200 agentes estão envolvidos na ação

Agentes da Polícia Civil do Rio de Janeiro estão em Campo Grande realizando a “Operação Scriptus” com objetivo de prender pessoas envolvidas no processo de lavagem de dinheiro do tráfico da facção criminosa que dominava o Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio de Janeiro.

A operação é realizada também no Paraná, São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Cerca de 200 agentes estão envolvidos na ação. Os agentes cariocas contam com o apoio de policiais do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros ) e DECO (Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado, em Campo Grande.

De acordo com o a assessoria da Polícia Civil do Rio de Janeiro, os policiais tentam cumprir 20 mandados de prisão e 24 de busca e apreensão nos quatro Estados.

As investigações foram desencadeadas pelo NUCC – LD (Núcleo de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro), com apoio da DCOD (Delegacia de Combate às Drogas), CORE (Coordenadoria de Recursos Especiais) e da Cinpol (Coordenadoria de Inteligência e Informação Policial).

A partir da análise de 14 retalhos de papel pautado, com manuscritos do traficante Luiz Fernando da Costa, o “Fernandinho Beira Mar”, apreendidos durante a ocupação do Complexo do Alemão há um ano, os agentes puderam descobrir o esquema responsável pela obtenção de grande parte das armas e drogas para a comunidade, além de como era realizada a lavagem de dinheiro. Segundo as investigações, cerca de dez toneladas de maconha, das 40 apreendidas durante a operação de ocupação, chegaram ao Complexo do Alemão através do esquema montado pelo traficante.

De acordo com o coordenador do NUCC – LD, delegado Flávio Porto, a análise do material identificou também a existência de uma espécie de “terceiro setor”, integrado por pessoas físicas e jurídicas, sediadas em Foz do Iguaçu, Mato Grosso do Sul e Belo Horizonte, que tinham como função dar uma aparência de legalidade ao dinheiro obtido com o tráfico de drogas. O capital era depositado em suas contas por pessoas que se associaram ao grupo criminoso, exercendo o papel de “agentes depositantes”, geralmente moradores da localidade que levavam o dinheiro às agências bancárias quantias expressivas.

Ao perceber essa movimentação, o COAF (Conselho de Controle de Atividades Financeiras), em parceria com a Polícia Civil, possibilitou o bloqueio e sequestro dos saldos das contas bancárias envolvidas no esquema, por onde circulavam mais de R$ 20 milhões. A partir daí, será possível atingir o patrimônio dos bandidos, construído com dinheiro ilícito.

As pessoas envolvidas no esquema responderão por tráfico de drogas, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.

Promotoria e prefeitura firmam acordo para recuperar área de preservação
Foi celebrado entre o MPE (Ministério Público Estadual) e a prefeitura de Campo Grande acordo para recomposição da vegetação nativa da área de preser...
Concurso recebe inscrições para 83 vagas técnico-administrativas
Seguem abertas as inscrições para o concurso que oferece 83 vagas para técnico-administrativos em Educação na UFMS (Universidade Federal de Mato Gros...
Vice-governadora visita projeto em que detentos reformam escolas
O projeto "Pintando e Revitalizando a Educação com Liberdade", desenvolvido pelo Poder Judiciário estadual, foi conhecido e elogiado na sexta-feira (...
Crianças do Vespasiano Martins recebem Papai Noel e ganham presentes
As crianças do loteamento Vespasiano Martins, na periferia de Campo Grande, receberam a visita especial do Papai Noel neste sábado (16). Foram distri...


Aqui em Maracaju tb esta precisando de uma operação da policia federal tb,tem tantos aqui nadando na grana,compra se de Hilux pra cima,mas eu acredito que a PF esta de olho neles,é questão de tempo
 
roberto bonfin em 01/12/2011 10:27:14
falando em lavagem de dinheiro,la em bela vista toda populaçao clama por justiça desde a eleiçao de prefeito em q um vereador foi assasinado.....tem muita gente q ficou rico do dia pra noite,ate um pre candidato a prefeito q andava num velho fiat uno,hoje ta rindo atoa de tanto dinehiro. cade a policia federal?? esquecerao da fronteira de bela vista??
 
roberto perez em 01/12/2011 09:57:35
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions