A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 24 de Abril de 2019

28/02/2019 09:47

Prefeito espera chamado de ministro para pedir verba para obras de drenagem

Segundo Marquinhos, só projeto orçado em R$ 80 milhões de dólares resolveria o problema das enchentes na Capital

Anahi Zurutuza e Mayara Bueno
Carros arrastados e motorista com água pelo joelho na Via Parque, um dos pontos que foi tomado pela enxurrada na terça-feira (26) (Foto: Henrique Kawaminami)Carros arrastados e motorista com água pelo joelho na Via Parque, um dos pontos que foi tomado pela enxurrada na terça-feira (26) (Foto: Henrique Kawaminami)

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) desistiu de embarcar para Brasília (DF) nesta quinta-feira (28) para agenda com o ministro do Desenvolvimento Regional do Brasil, Gustavo Canuto, onde pleitearia recursos para obras de recapeamento e drenagem em Campo Grande.

O chefe do Executivo municipal detalhou que o comandante da pasta do governo federal explicou que está com a agenda lotada e deve chamar o prefeito para reunião depois do Carnaval.

“Não consegui agenda com o ministro Gustavo Canuto. Mas, conversei com a ministra Tereza Cristina, que é muito amiga dele. Ele disse pra eu mandar os secretários pra ir despachando com os técnicos, porque a chuva não foi somente em Mato Grosso do Sul, mas em todo o Brasil. Ele está com a agenda superlotada, atendendo a vários governadores”, disse Marquinhos ao Campo Grande News.

O prefeito espera ser chamado na quinta ou sexta-feira que vem.

 

Marquinhos em entrevista na terça-feira, logo após temporal (Foto: Kísie Ainoã)Marquinhos em entrevista na terça-feira, logo após temporal (Foto: Kísie Ainoã)

Agenda – Na terça-feira (26), dia do temporal que deixou rastro de destruição em Campo Grande, Marquinhos disse que só projeto orçado em R$ 80 milhões de dólares resolveria o problema das enchentes na Capital. A proposta é substituir todo o sistema de drenagem.

A dificuldade tem sido conseguir financiamento. "Todas as vezes que apresentamos os projetos em órgãos como BNDES [Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social], a proposta foi negada, porque Campo Grande não estava em condições de se endividar", explicou.

Nesta quarta-feira (27), o secretário municipal de Finanças e Planejamento, Pedro Pedrossian Neto confirmou a agenda em Brasília. Segundo ele, a primeira parada seria justamente no BNDES para mais uma vez tentar empréstimos e depois, a reunião com Canuto.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions