A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

22/03/2016 12:34

Presença de PM em porta de escola gera discussão sobre privilégios

Natalia Yahn
Pais podem entrar no drive thru para deixar os filhos na escola. (Foto: Fernando Antunes)Pais podem entrar no drive thru para deixar os filhos na escola. (Foto: Fernando Antunes)

A presença de um policial militar do BPTran (Batalhão de Trânsito) em frente a uma escola particular na Rua Rodolfo José Pinho, em Campo Grande, gerou discussão em relação a possíveis privilégios para atuação da PM (Polícia Militar).

A beneficiada é a escola bilíngue canadense Maple Bear, que começou a funcionar no dia 15 de fevereiro e chegou a divulgar nas redes sociais uma propaganda da atuação do policial. Na mensagem postada no Facebook na quarta-feira (16), o texto afirma que o PM atua há algumas semanas no local, nos horários de entrada e saída dos alunos.

“Queremos apresentar o Soldado Felipe, que cuidará do fluxo de veículos e pedestres aqui na frente durante esses horários. Além de proporcionar um ambiente mais seguro, a presença do Felipe por aqui pode evitar pequenos acidentes e deixará nosso trânsito muito melhor”, diz a publicação.

Enquanto a presença do policial é comemorada pela escola de alto padrão, pais e funcionários do Lar Nossa Senhora Aparecida, que funciona ao lado desde 1973, afirmam que a medida acontece somente porque a unidade é da “elite”.

A mãe de um aluno do Lar Nossa Senhora Aparecida, que pediu para não ter o nome divulgado, afirma que nunca viu policiamento de trânsito no local. “Como sempre teve a policlínica da PM ao lado e um (policial) fardado por perto, as pessoas sempre respeitaram bastante o trânsito. Eu percebi que a polícia fica na porta da escola da elite, a gente vê que é por causa deles”.

O filho dela estuda há três anos na escola, que atende somente em período integral. “Tem bastante criança e o trânsito é tumultuado, principalmente nos horários de entrada e saída. Mas a escola nova não marcou para o mesmo horário e ainda não tem tandos alunos. Mesmo assim o policial fica lá na frente”, afirmou.

No Facebook, escola comemorou presença do soldado Felipe. (Foto: Reprodução Facebook)No Facebook, escola comemorou presença do soldado Felipe. (Foto: Reprodução Facebook)

Uma funcionária da escola Lar Nossa Senhora – que também é particular, mas atende famílias de baixa renda –, confirmou que o policial fica apenas em frente a escola bilíngue canadense Maple Bear. “O PM só fica pra lá (apontando para a escola) e não passa nem aqui na frente. Começou a ter patrulha há pouco tempo atrás”, disse ela, que pediu para não ter o nome divulgado.

Outra mãe acredita que mesmo nítida a atuação da PM por conta da escola de alto padrão, o trânsito realmente melhorou. “A concessão é sim por questão social e financeiro. Mas ajudou bastante o trânsito, porque aumentou o fluxo de veículos. Ia ser um caos, bem complicado”, afirmou.

O diretor da escola Maple Bear, Guto Dobes Filho, afirmou que foi feito convênio para que o policial militar faça a fiscalização e orientação no trânsito quatro vezes ao dia, de segunda a sexta-feira. “É interesse de todos que seja organizado o trânsito. Temos recebido elogios de todos”.

Ele explicou ainda que a escola absorve parte do fluxo de veículos por ter um drive thru, que permite a entrada dos pais para desembarcar as crianças na área interna. “Se não fosse isso seria muito pior. Mesmo assim a rua tem o movimento natural”, disse Filho.

BPTran – Ao contrário do que os pais e funcionários afirmaram para a reportagem, o comandante do Batalhão de Trânsito, coronel Renato Tolentino, afirmou que a escola Lar Nossa Senhora Aparecida já tinha fiscalização no trânsito antes de ser designado um policial para atuar em frente a Maple Bear. “Ali é acesso para Avenida Zahran, por isso a fiscalização é importante. E aquela creche das freiras esta há anos ali, atuamos há tempos. Eu mesmo já trabalhei ali”.

Mas, confirmou que o início do funcionamento da escola de alto padrão influenciou para manter o policial no local. “É claro que a escola (Maple Bear) ali é um fator que contribui no fluxo. Nos preocupamos de não dar esta impressão, de atender apenas as escolas particulares e não as municipais e estaduais”.

Questionado sobre o critério para atuação dos policiais em frente as escolas e quais as outras unidades públicas que recebem o serviço o comandante explicou que a BPTran “atende Ceinfs (Centros de Educação Infantil), Escolas Municipais e Estaduais”, principalmente em campas educativas.

“Pela importância das vias, a atenção é maior na área central, principalmente de manhã e a tarde. Estamos sempre em frente as escolas Dom Bosco, Alexander Fleming, Mace, Montessori e também na creche Zedu, no Parque dos Poderes”, disse Tolentino.

Ele confirmou que as ações acontecem de forma rotativa ao longo da Avenida Mato Grosso e das ruas Padre João Crippa, das Garças, Abrão Júlio Rahe, Pernambuco, além da Avenida Afonso Pena – em frente a Escola Estadual Joaquim Murtinho. “Temos que priorizar locais com maiores problemas”, afirmou o comandante.



Que absurdo, não sabia que a PM prestava serviços de vigilancia privada, dve ser mais barata que as atuantes no mercado. Outro dia observei na parede de um supermercado na Mata do Jacinto com os dizeres "Este estabelecimento é cuidado pela Policia Militar , como pode ????? se pode, também quero um para minha rua uai, pago para particulares.
 
Toledo em 22/03/2016 14:40:46
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions