A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

16/01/2014 09:56

Presidente da OAB se defende e diz que visita de diretores será de mediação

Luciana Brazil e Kleber Clajus

O presidente da seccional sul-mato-grossense da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Julio Cesar Souza Rodrigues, afirmou na manhã de hoje (16) que a visita de dois membros do Conselho Federal da entidade, farão parte de uma manobra de mediação entre os membros da diretoria seccional e não serão fruto de investigação.

“Fiquei surpreso em afirmarem que seria um ato de investigação, quando na verdade trata-se de uma mediação entre os membros da diretoria seccional da OAB”, disse Julio Cesar.

Informações dão conta de que o Conselho decidiu enviar à Capital dois diretores para investigar “in loco” a denúncia contra ele, que teria feito tratativas contratuais com o prefeito Alcides Bernal (PP), apesar de este responder a processos éticos sob sua autoridade.

“O contrato ainda não foi formalizado, aliás, o serviço já foi finalizado e tem até o resultado. A Ordem a e prefeitura têm uma relação institucional”, se defendeu.

Visita- Vão estar em Campo Grande, na próxima terça-feira (21), o secretário adjunto do Conselho Federal da OAB nacional, Cláudio Stábile, e o diretor-tesoureiro, Antônio Oneildo. “A diretoria do Conselho deliberou que dois diretores do Conselho virão aqui para fazer verificação direta de como está a situação para analisar nosso pedido de intervenção”, informou o secretário-geral adjunto da OAB-MS, Jully Heyder.

Essa providência é fruto da mobilização de quatro ex-presidentes da OAB-MS, quase toda a diretoria da entidade e mais 177 advogados, que pediram no dia 16 de dezembro à direção nacional da OAB a intervenção na presidência regional, a fim de que seja afastado Júlio Cesar Souza Rodrigues.

Para eles, o presidente cometeu falha ética ao fazer tratativas contratuais com o prefeito Bernal para representar o Município na luta para aumentar o índice de participação no bolo do ICMS.

 “Com essa vinda, eles entenderam que a situação do presidente é insustentável”, acrescentou Jully Heyder..

Mesmo não sendo especialista em direito tributário, Júlio Cesar fez tratativas contratuais com Bernal para entrar com ações administrativas e na Justiça buscando elevar o índice de ICMS do município de Campo Grande.

Júlio César receberia R$ 11,2 mil mensais e ainda poderia ganhar milhões em caso de êxito nas ações contra o governo do Estado, visto que teria direito a 15% de cada 0,0001 de acréscimo no índice do ICMS por 12 meses em 2014. Especialista em Direito Processual Civil, Júlio, conforme as tratativas, seria contratado sem licitação e em regime de urgência por “notória especialização”, contrariando a Lei 8.666.

Abstenção em concurso da Câmara Municipal da Capital passa dos 30%
O domingo (17) foi de provas para milhares de campo-grandenses, tanto na manhã como no período da tarde, no concurso da Câmara Municipal, que segundo...
Com forte dores, mulher reclama de falta de atendimento em UPA
Mesmo apresentando fortes dores e inchaço na região do estômago, sem conseguir comer a três dias, uma mulher que procurou atendimento na UPA (Unidade...
Problema rotineiro, chuva causa alagamentos no bairro Cidade Morena
A chuva que atingiu Campo Grande no fim da tarde deste domingo (17) causou vários problemas à população, desde alagamentos a problemas estruturais em...


Quando o desembargador presidente do TJMS era o pai do presidente da OAB e foi acusado por |Ary Rigo...Não veio ninguém a campo grande investigar nada...aliás a maior vergonha do país é ver juizes, promotores, desEmbargadores...aposentados, recebendo muito bem como aposentados e ADVOGANDO. Filhas e filhos advogando na mesma comarca e no mesmo Estado e que garantem resultados a seus clientes nas turmas do TJ...Advogados do interior do Estado que tem filhas que trabalham dentro de Foruns..e será que existem juízes que advogam usando nome de terceiros...? deveriam, todos serem investigados. Não bastasse o TJ de SP estar envolvido em fraude fiscal...e os cartórios, empresas geridas por particulares que guardam documentos de fé pública ???
 
Fabiola Charão em 17/01/2014 15:28:14
A OAB/MS, está sem moral mesmo. Discordo do Luiz Mário, se os dirigentes não concordam com o que o Julio está fazendo, tem mais é que investigar mesmo e não sairem da diretoria ou conselho. Fez merda tem que pagar mesmo. Se nem o presidente da OAB é confiável, em quem confiar. Espero que esses Srs do conselho Federal que ai estão, não venham para passar a mão na cabeça do Sr. Presidente da seccional MS. OAB/MS, assim como está, tem deixado a desejar e está completamente desmoralizada. Dinheiro ou cargo público, Sr. Presidente, não pode ser mais importante que a presidência da OAB/MS.
 
Jorge Capillé em 16/01/2014 12:41:26
Que vergonha toda essa situação por que passa a OAB.
Espero que os advogados de MS se lembrem desses episódios nas próximas eleições da OAB e não votem mais nesse grupo que só tem envergonhado os advogados.
E os diretores são desse grupo, pois se realmente não concordam com o Julio estão livres para sair, basta renunciar.
 
Luiz Mario de Barros e Silva em 16/01/2014 12:06:46
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions