ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SÁBADO  13    CAMPO GRANDE 10º

Capital

"Recuperaram pouco, levaram coisas de valor afetivo", diz Reinaldo sobre furto

Ex-governador conta que ladrões levaram até medalha de comendador que ganhou do Paraguai

Por Aline dos Santos e Ângela Kempfer | 25/06/2024 13:30
Em julho de 2023, Reinaldo Azambuja posa com a medalha que ganhou do Paraguai. (Foto: Saul Schramm)
Em julho de 2023, Reinaldo Azambuja posa com a medalha que ganhou do Paraguai. (Foto: Saul Schramm)

O ex-governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), que teve o apartamento invadido por ladrões em Campo Grande, lamenta que poucos itens foram recuperados. Inclusive, não conseguiu reaver bens de valor sentimental, como a medalha de comendador que ganhou da presidência do Paraguai.

“Recuperaram muito pouco do que levaram. Eles levaram 90% das joias da Fátima [sua esposa]. Foram largando as coisas pelo caminho. São peças que ela herdou da mãe”, disse Reinaldo ao Campo Grande News, na primeira entrevista após o furto, que aconteceu no dia 8 de junho, um sábado, sendo descoberto no domingo. O apartamento do político fica no Bairro Jardim dos Estados, em Campo Grande.

Naquele fim de semana, Reinaldo, que é presidente estadual do PSDB, participou das comemorações dos 100 anos de Maracaju, cidade localizada a 160 quilômetros da Capital.

A lista de bens roubados inclui relógios, joias, dinheiro e comendas. Além da homenagem do país vizinho, que em julho de 2023 agraciou o ex-governador com Ordem Nacional do Mérito do Paraguai, os ladrões ainda levaram medalhas ofertadas pela Câmara dos Deputados, Força Aérea Brasileira e do Mérito Legislativo.

Fachada do prédio onde Reinaldo Azambuja mora com a família em Campo Grande (Foto: Dayene Paz)
Fachada do prédio onde Reinaldo Azambuja mora com a família em Campo Grande (Foto: Dayene Paz)

Nesta terça-feira (dia 25), Reinaldo afirmou que aguarda o desfecho das investigações sobre o crime. “Não tenho dúvida que teve falhas porque entraram pela portaria. Mas só o fim da investigação vai apontar o culpado e se houve conivência. Ainda tem muita coisa para ser feita e vários desdobramentos”, diz Reinaldo. Desta forma, o ex-governador preferiu não comentar sobre os presos.

Prisões em São Paulo - No dia 10, em São Paulo, a Garras (Delegacia de Repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros), com apoio da Polícia Civil paulista, prendeu três pessoas pelo furto.

A investigação detalhou que os ladrões, especializados em edifícios de luxo, primavam pela discrição.  Entram nos prédios como se fossem moradores ou visitantes, arrombam portas sem serem ouvidos e deixam os condomínios com os pertences furtados colocados em bolsas encontradas no próprio apartamento.

No edifício de Reinaldo, a primeira investida dos ladrões foi contra a porta da cobertura, mas não conseguiram arrombar a estrutura de ferro.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias