A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 15 de Outubro de 2019

03/05/2019 10:22

Réu por morte de gestante nega ser dono do chinelo que o liga ao crime

"Ela foi morta, mas não fui eu. Fumei duas paradas de pasta-base, mas deixei ela viva"

Aline dos Santos e Ronie Cruz
Clodomiro é julgado nesta sexta-feira por homicídio de gestante. (Foto: Ronie Cruz)Clodomiro é julgado nesta sexta-feira por homicídio de gestante. (Foto: Ronie Cruz)

Numa manhã de negativas, Clodomiro Vicente Roa, que está no banco dos réus acusado de matar uma gestante, disse que não foi o autor do homicídio e também negou ser o dono do chinelo que o liga ao local do crime. Andrea Santana Braga, 30 anos, foi enforcada em 23 de março de 2015, na Vila Popular, em Campo Grande.

Nesta sexta-feira (dia 3), o réu, que está preso há dois anos e seis meses, é julgado na 2ª Vara do Tribunal do Júri. “Não matei ela. Ela foi morta, mas não fui eu. Fumei duas paradas de pasta-base, mas deixei ela viva”, afirmou.

No local não havia ninguém, mas a polícia encontrou um chinelo e tinha, com base em depoimentos de testemunhas, dois suspeitos de cometer o crime. Exame realizado nos pés dos suspeitos comparou as marcas às do chinelo e o autor foi identificado como Clodomiro.

A promotora Aline Mendes Franco Lopes questionou o réu sobre as mudanças de versão de como estava a vítima quando ele deixou o imóvel, onde foi encontrado o corpo de Andrea.

Durante o processo, primeiro disse que saiu da casa e a mulher estava na varanda, sentada na cadeira. Depois, que ela estava um dos cômodos. Hoje, o réu não detalhou qual a última vez que viu a vítima. Ele conta que saiu do local sob efeito de droga, jogou pedras numa casa e a polícia foi chamada.

No depoimento, Clodomiro disse que não sabia da gravidez de Andrea. “Era magrinha, não dava para ver”. O réu ainda contou que a casa era um “fumódromo” e que a vítima mediava a compra de entorpecente para ele. “Eu era escravo da droga”, disse. O julgamento prossegue nesta sexta-feira na 2ª Vara do Tribunal do Júri. 

Perícia mostrou que chinelo encontrado em local do crime é do réu.  (Foto: Simão Nogueira)Perícia mostrou que chinelo encontrado em local do crime é do réu. (Foto: Simão Nogueira)
Após lançar maconha na Máxima, dupla é perseguida e presa pela polícia
Dois homens, de 27 e 29 anos, foram presos nesta segunda-feira (14) após jogarem tabletes de maconha por cima do muro do presídio de segurança máxima...
Adolescente de 16 anos é apreendido com 95 papelotes de droga no Tiradentes
Um adolescente, de apenas 16 anos, foi preso ao ser flagrado com 95 papelotes de cocaína no Bairro Tiradentes, em Campo Grande. Os policiais civis d...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions