A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

23/01/2013 09:27

Sem garantia de pagamento, servidores voltam e ameaçam com nova paralisação

Retorno às atividades foi após reunião de meia hora com secretário de Administração

Aline dos Santos e Paula Maciulevicius
Central do Cidadão não funcionou no começo da manhã. (Foto: Luciano Muta)Central do Cidadão não funcionou no começo da manhã. (Foto: Luciano Muta)

Os servidores da Central de Atendimento ao Cidadão “William Maksoud Filho”, em Campo Grande, retornaram ao trabalho. No início da manhã, eles cruzaram os braços em protesto contra o corte da bonificação que, na prática, reduz os salários de 50 funcionários dos guichês de atendimento ao público.

O retorno às atividades foi após reunião de meia hora com o secretário municipal de Administração, Ricardo Ballock. No entanto, não houve acordo nem garantia do pagamento. Ao deixar a reunião, o secretário disse que não poderia dar entrevista sem autorização do prefeito Alcides Bernal (PP). Já os servidores, que pediram para não ser identificados, saíram reclamando.

“Não deram garantia nenhuma. Ele [secretário] falou que está lutando pela gente, mas não deu prazo, prometendo resolver para fevereiro”, relata um servidor. Ainda segundo os trabalhadores, o secretário teria se comprometido a fazer levantamento de todas as categorias que recebem bonificação.

A volta ao trabalho também é para atender o IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), cuja primeira parcela e pagamento à vista vencem no dia 15. Depois dessa data, os funcionários prometem nova paralisação.

“Como vou sentar para trabalhar sabendo que vão sobrar R$ 30 do meu salário. Os compromissos todos vencidos”, afirma uma funcionária. Os atendentes prometem trabalhar com lentidão, num ritmo compatível à remuneração menor. Com salário bruto de R$ 700, eles recebiam bonificação mensal de R$ 306.

No entanto, descobriram que a folha de pagamento, fechada ontem, não trazia o valor adicional ao salário.

O cidadão - O protesto no começo da manhã atrapalhou os planos de quem levantou cedo para buscar resolução de problemas com o poder público.

Após sucessivos anúncios de que as senhas seriam distribuídas em 15 minutos, o público foi alertado de que não havia previsão de retorno e deixou o local, na esquina das ruas Cândido Mariano com Arthur Jorge. O anúncio dispersou as 50 pessoas da fila.

Caso da cabeleireira Otília Aparecida Ferreira, de 47 anos. Ela foi fazer pedido de alvará sanitário. “Agora, vou ter que esperar. E se o fiscal for lá”, diz. Otília estava na fila desde às 7h, mas desistiu ao saber que não havia previsão de retorno do atendimento.

“Por que não chegaram e falaram logo cedo que iam não resolver. Chega aqui e não tem nada, tudo fechado”, reclama o pintor Jairo de Oliveira Alves, de 50 anos, que foi solicitar Nota Fiscal Eletrônica.

Durante a paralisação, que foi das 8h às 8h30, pessoas com problemas quanto ao IPTU foram orientadas a procurar o Paço Municipal, na avenida Afonso Pena. O mestre de obras Nestor Castilho, de 51 anos, mora em Ponta Porã e tinha apenas o período da manhã para pagar o IPTU.

Guarda oferece palestra sobre prevenção e combate às drogas em Uneis
Jovens da Unei (Unidades Educacional de Internação) Dom Bosco e da Unidade de Internação Feminina Estrela do Amanhã, em Campo Grande, receberam pales...
Cadastramento biométrico é oferecido pela Carreta da Justiça em Anhanduí
Desde o início desta semana a Carreta da Justiça está realizando atendimentos da biometria no distrito de Anhanduí, no município de Campo Grande, gra...


O preparo, senhora Aline Figueiredo , está no curso preparatório que é feito durante os dezoito meses de sábado a sábado, tirando o vale-transporte do bolso e abandonando a família para poder estudar e se aperfeiçoar para atendê-la melhor e garantir uma gratificação federal no salário. Sobre o atendimento ao público, acredito que as pessoas que serão atendidas não sabem pedir ou fazer qualquer pergunta que não seja na ignorância e estupidez, se quiser um bom atendimento, então que as pessoas façam um curso de boas maneiras para atender bem o funcionário. Gostaria de ver você e o senhor André Avalhaes sobreviverem mensalmente com um salário de R$ 700,00, tirando os descontos, para constituírem uma vida digna com sua família.
 
Cláudia Ribeiro em 23/01/2013 15:00:40
Eu acho o seguinde nao estão satisfeito pedem as contas e procuram outro emprego, imagina se todo mundo que nao esta satisfeito com o trabalho que tem, se fez o concurso é porque sabiam como que era, e agora no brasil é assim tudo paralização.
 
Rafael Martins em 23/01/2013 13:25:20
Concordo com André Valadares, deveriam ser compensados os que atendem bem, só dinheiro por causa de curso pró isso pró aquilo, e onde está o preparo?
Servidores que nos atendem de qualquer jeito deveriam ficar bem quietinhos...
 
Aline B. Figueiredo em 23/01/2013 11:19:06
Estão colhendo o que plantaram,eles mesmos votarão no Bernal agora aguenta o pato. O povo tem que saber em quem votar!!
 
Rodrigo Souza em 23/01/2013 11:16:27
É você ai que diz parabéns, não é no seu salário que ele está mexendo né ? Você tem contas a pagar e faz compromisso com o tal dinheiro que você fez o curso do pró funcionario aos finais de semana, e agora simplesmente não vai ter ? a faça mil favor viu ...
 
Maria Aparecida em 23/01/2013 11:07:27
Como assim? Não houve acordo e nem garantias? Enquanto isto vocês vão ficando em situações bem difícieis financeiramente. Lógico que eles não estão nem um pouco preocupados, o salário deles é muito bom. Cade o sindicato de vocês? Outra coisa, porque só alguns recebem essa bonificação? Todos do cargo administrativo tem o mesmo direito. Estou de olho. Que vergonha ganhar um salário mínimo.
 
Celia Dantas em 23/01/2013 10:59:12
Parabéns??? Como assim? Cortar a remuneração em quase 50%? Só pode estar de brincadeira o amigo do comentário anterior. Queria ver se fosse V.Sa. na pele daqueles funcionários que, muitas vezes, são obrigados a atender todo tipo de contribuinte (estressado, mal-educado, etc. etc.). Os servidores é que estão certos em reclamarem seus direitos! Cadê o nosso digníssimo administrador? ...
 
José Cruz em 23/01/2013 10:23:36
Parabéns ao Prefeito e ao Secretério de Administração, é preciso realmente fazer uma reforma, e é preciso mexer no bolso dos funcionários, pois a gente vai lá para ser atendido e parecem que estão nos fazendo favor, sem contar o despreparo, pois ninguém sabe informar nada, tratam mau a gente, é preciso sim remunerar bem os servidores, mas aqueles que realmente merecem, pois tem uns que deveriam ser exonerados e nunca mais assumirem um cargo público, pois não sabem lidar com o público. Essa bonificação deveria ser paga de acordo com a avaliação de atendimento e desempenho, como fazem as empresa privadas, atender bem é o básico, isso não significa que resolverá todos os problemas, mas o atendimento com educação e cortesia tem que ser de praxe.
 
André Avalhaes em 23/01/2013 10:03:47
Os servidores tem o direito de fazer greve e solicitar melhorias salarias para eles, contudo essa bonificação tem que incorporar no salário, pois ao aposentarem não estarão levando nada para a aposentadoria.
 
Roberto Domingos em 23/01/2013 09:46:57
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions