A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

17/02/2014 14:28

Sindicatos vão pressionar Bernal por reajuste salarial de até 22%

Kleber Clajus

Sindicatos que representam servidores da educação e da administração pública irão pressionar o prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), por reajustes entre 18% e 22,68%. Ainda dentro das propostas estão a redução da carga horária para 30 horas semanais, aumento no benefício de alimentação e insalubridade. O prazo para correções, acima da inflação, termina em 4 de abril, por conta das eleições.

De acordo com o presidente da ACP (Sindicato Campo-grandense dos Profissionais da Educação Pública), Geraldo Alves Gonçalves, o reajuste dos professores será realizado em duas etapas, tendo 11,83% em maio e 10,85% no mês de outubro. Neste sentido, o salário dos profissionais será equiparado ao piso nacional de 20 horas, que também sofre alteração de 8,32% em 2014, passando de R$ 1.567 para R$ 1.697.

“Vamos encaminhar um ofício, em abril, para relembrar o prefeito dos percentuais de reajuste já previstos na Lei Complementar nº 208, que integraliza o piso em 1º de outubro em Campo Grande”, explica Geraldo. 

O alerta será feito porque no ano passado Bernal ameaçou não cumprir a lei. Ele só decidiu acatar o acordo feito na gestão anterior, de Nelson Trad Filho (PMDB), após protesto dos professores. Eles também ameaçaram entrar em greve pelo piso para uma jornada de 20 horas. 

Mesmo com reajuste, os professores devem participar de uma paralisação no dia 17 de março, pois não concordam com alteração de 8,32% no piso estabelecida pelo MEC (Ministério da Educação). Para a categoria, o reajuste deveria ser de 19%.

No caso do Sisem (Sindicato dos Servidores Municipais de Campo Grande), a expectativa é de conquistar reajuste de 18% aos servidores municipais. Além disso, se inclui na pauta a redução do expediente para 30 horas semanais, aprovação do plano de cargos e carreiras e aumento do benefício do cartão alimentação. As reivindicações devem ser fechadas em uma assembleia geral prevista para a segunda quinzena de março.

“Nossa meta é reajuste de 18% e, para isso, vamos utilizar o discurso de Bernal para valorizar o servidor. Ele gosta de desmoralizar as instituições, como o Sisem, então quanto mais aumento der, mais o sindicato ficará feliz”, alfineta o presidente e sindicalista, Marcos Tabosa.



SRA. GUARACI, QUE PRODUTIVIDADE A SRA TA FALANDO? AS DEMAIS CATEGORIAS NÃO TEM A GRATIFICAÇÃO DA PRODUTIVIDADE A NÃO SER QUE ELAS SEJAM FISCAIS OU TRABALHAM NA SAÚDE! RESTANTE NADA DE GRATIFICAÇÕES A NÃO SER AS PEQUENAS HORAS EXTRAS QUE ALGUNS FAZEM PRA GANHAR UM POUQUINHO A MAIS NO FINAL DO MÊS, PQ O SALÁRIO DE SERVIDOR PÚBLICO É MUITO BAIXO PELA GRANDE QUANTIDADE SERVIÇO QUE TEM PRA FAZER. VOCÊS ACHAM QUE ELES NÃO TRABALHAM QUE FICAM A TOA, PQ MÃO CONHECE A VERDADEIRA REALIDADE, PODE QUE ALGUMAS SECRETARIA TENHO MENOS SERVIÇO QUE AS OUTRAS, MAS NÃO PODEMOS RELACIONAR NO GERAL.
 
VITOR FERNANDES em 18/02/2014 10:53:06
Com esse comentário do Sr Marcos Tabosa já dá para notar que ele vai "dialogar" com o prefeito!
Nem mesmo começaram as articulações para o aumento e o sindicalista já parte para o confronto, "alfinetando" o prefeito ... mais uma vez é o sindicalismo usado não para atender os interesses de seus filiados e sim para fins políticos ...
 
Paulo Porto em 18/02/2014 09:31:59
Em relação ao servidor do estado o aumento só se for de desconto, um exemplo é a Cassems, esta construindo hospitais às custas do suor do servidor, todo o ano é aumento abusivo do fator participativo, desconto em folha e de exames, nenhum orgão público vê esse abuso.
 
Ari Oliveira em 18/02/2014 08:27:16
O interessante desse governo de MS é que, servidor público é só policia e professor. E o restante do servidor público?Nada? Uma vergonha desse estado.
 
Maria Alice em 18/02/2014 08:02:53
SRA. GUARACI, QUE PRODUTIVIDADE A SRA TA FALANDO? AS DEMAIS CATEGORIAS NÃO TEM A GRATIFICAÇÃO DA PRODUTIVIDADE A NÃO SER QUE ELAS SEJAM FISCAIS OU TRABALHAM NA SAÚDE! RESTANTE NADA DE GRATIFICAÇÕES A NÃO SER AS PEQUENAS HORAS EXTRAS QUE ALGUNS FAZEM PRA GANHAR UM POUQUINHO A MAIS NO FINAL DO MÊS, PQ O SALÁRIO DE SERVIDOR PÚBLICO É MUITO BAIXO PELA GRANDE QUANTIDADE SERVIÇO QUE TEM PRA FAZER. VOCÊS ACHAM QUE ELES NÃO TRABALHAM QUE FICAM A TOA, PQ MÃO CONHECE A VERDADEIRA REALIDADE, PODE QUE ALGUMAS SECRETARIA TENHO MENOS SERVIÇO QUE AS OUTRAS, MAS NÃO PODEMOS RELACIONAR NO GERAL.
 
VITOR FERNANDES em 18/02/2014 06:59:52
O Prefeito que esta acontecendo com SNR vejo só critica buraco aumentando nas ruas mato crescendo que ja é campo grande mato grosso duro de roçar e outras mais outras que esta aparecendo prefeito nós esperamos e ainda seu olhar de bons ólhos para que seja tudo sanado com alegria e felicidade para todos nós
 
neilton m ortega em 17/02/2014 22:30:39
cartão alimentação? da onde? eu nunca tive....
 
PAULO SANABRIA em 17/02/2014 19:46:29
Aumento de 18% e redução da carga horária de trabalho para 30 horas semanais.
Os servidores públicos municipais não querem mais nada, né?

O caso dos professores é legítimo, eles têm piso nacional vigente e tudo mais. Agora as outras categorias deveriam remuneradas com base em sua produtividade... senão vai tudo no rabo do contribuinte essa "briga política" (porque é isso que é).
 
Guaraci Mendes em 17/02/2014 15:44:21
Eu tenho fé que vai dar certo, temos que confiar no nosso prefeito!!!!
 
Kathia Ramalho em 17/02/2014 15:11:46
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions